resfriamento pos-treino

Quando e por que fazer ‘resfriamento’ após uma sessão intensa

Quando acaba o treino, você provavelmente fica ansioso para tocar o resto do seu dia. Mas às vezes é importante fazer um “resfriamento” antes.

Quando você termina o treino do dia, provavelmente fica ansioso para se trocar e tocar o resto do seu dia. Mas você sabia que às vezes pode ser importante dar uma “esfriada” antes de finalizar sua sessão?

Isso é importante não para maximizar os seus resultados ou acelerar o crescimento muscular, mas por uma questão de saúde. E, como você deve bem saber, indiretamente sua saúde afeta seus resultados e seus músculos – por que, afinal, quem cresce sem treinar, doente ou contundido?

O que é o ‘resfriamento’

A ideia de “esfriar” o corpo se torna ainda mais importante depois de sessões muito intensas e desgastantes – resistência, cardio intenso, HIITs e afins são bons exemplos.

O PhD em fisiologia John Halliwill, da Universidade de Oregon (EUA), dá uma dica para você descobrir se precisa “esfriar” depois do treino: se você tiver dificuldade para conversar depois do treino, ofegante, “esfriar” é essencial.

A explicação é simples: quando você se exercita, o coração bombeia muito mais sangue pelo corpo do que em repouso. A taxa de batimento cardíaca sobe e as veias que levam sangue para os músculos dilatam, deixando o fluxo sanguíneo correr.

Enquanto você está se movimentando, os músculos ajudar a bombear o sangue de volta para o coração cada vez que se contraem – os especialistas chamam isso de “segundo coração”.

Mas se você parar de se movimentar de repente, interrompendo o exercício, você “desliga” esse “segundo coração”. O seu coração vai continuar bombeando muito sangue para fora dele, como se você ainda estivesse treinando, mas agora sem ajuda para fazê-lo voltar.

O resultado é que isso pode causar tonturas e até desmaios – o doutor Halliwill viu isso acontecer em um estudo com pessoas que fizeram sprints de 1 minuto na bicicleta e, assim que completaram o tempo pré-determinado, saíram do equipamento e ficaram paradas de pé.

Se você fizer o “resfriamento” – que é como o contrário do “aquecimento”, e por isso também chamado de “desaquecimento” – você evita este tipo de problema. Ele ajuda a manter o “segundo coração” ativo por alguns instantes, até o fluxo sanguíneo voltar ao normal e o coração não precisar mais de ajuda.

Por que fazer ‘resfriamento’

Agora você pode estar pensando: “já fiz sessões absurdamente intensas, não fiz esfriamento nenhum e nunca desmaiei”. Pode ser verdade, mas muitas vezes, quando as pessoas sentem tonturas, elas logo se sentem, evitando quedas e um eventual desmaio.

Nessas condições, sentar também ajuda o fluxo sanguíneo a se normalizar, mas ainda existe outro motivo para “esfriar” após o treino, segundo Halliwill.

Manter os músculos ativos, em menor intensidade, após um treino pesado vai fazer o fluxo sanguíneo se normalizar pouco a pouco, e não abruptamente, o que pode ajudar o organismo a se livrar de substâncias químicas ruins produzidas durante o exercício – como o ácido lático, por exemplo.

O “resfriamento” também pode ajudar no transporte de nutrientes para músculo, acelerando o processo de regeneração das fibras musculares – o processo que faz você crescer. Em última análise, o “resfriamento” pode, sim, acelerar seu ganho de massa muscular!

Então, da próxima vez que tiver uma session muito intensa e fizer seu coração bater muito rápido, faça de 5 a 10 minutos de movimentos que trabalhem os mesmo grupos musculares que você estava treinando, mas com intensidade menor.

Sua saúde e seus resultados podem mudar para melhor!

via MensHealth

Comentários