trocar de treino

Qual a hora certa para trocar de treino?

Escolher a hora certa para trocar de treino pode ser fundamental para você chegar aos seus objetivos. Mas não é só isso que vai fazer você chegar lá!

Nosso corpo é realmente surpreendente. Não importa a que condições ele foi submetido, ele sempre se adapta. Mas não é só trocando a ficha que teremos novos desafios. É preciso entender que se fosse só trocar a ficha de treinos, todos seríamos gigantes facilmente.

Uma dúvida muito comum para os praticantes de musculação é sobre a troca de treino. Será que realmente o treino deve ser trocado? Qual o tempo certo? De dois em dois meses? Se eu não trocar meus treinos será que vou parar de crescer?

Vamos esclarecer agora todas essas questões para você não errar na academia e continuar sempre progredindo. Confira:

Teoria da troca de treino

Nosso corpo evolui através de um estímulo desafiador. Você começa a fazer um exercício com certa dificuldade, com o tempo o seu corpo começa a evoluir e a obter mais volume e força muscular para tornar aquele exercício mais natural.

Assim que seu corpo se adapta, ele se acostuma com esse estímulo e não tem mais motivo para evoluir. Dai surgiu a ideia de troca de treino. Seu corpo sempre precisará de um desafio maior para continuar evoluindo.

Mas é preciso trocar todo o treino?

Não, existem outras formas de aumentar o desafio para o seu corpo. Antes de trocar o treino é preciso criar variáveis para ele.

Uma forma diferente é manter os exercícios, mas diminuir o intervalo entre as séries, ou seja, descansar menos. Se seu descanso entre uma série é outra for de 1 minuto, passe agora a descansar 40 segundos.

Quer outro desafio? Faça a fase excêntrica (você segura o peso) do movimento mais lento. Quando o exercício é executado dessa maneira, ele apresenta melhores resultados.

Perceba que existem outras formas de tornar o treino mais pesado em vez de trocar toda a ficha ou só aumentar o peso.

Tipos de série

Uma das formas de superar a estagnação na musculação é optar por técnicas avançadas, que usam uma série de truques para intensificar o efeito dos treinos.

Esses métodos foram desenvolvidos para gerar adaptações específicas. Se o seu objetivo é crescer, ganhar força, obter mais potência ou resistência muscular, existe uma série desenvolvida para cada objetivo.

Se você já está cansado das séries 4×10 ou 3×15, conheça algumas técnicas para melhorar seu desenvolvimento:

Pirâmide crescente: nesse tipo de treino, o peso é aumentado e deve-se diminuir as repetições.

Super-set: são realizados dois exercícios consecutivos, sem descanso e também para o mesmo grupo muscular. Ex: voador e supino.

Drop-set: o principal objetivo dessa técnica é a hipertrofia muscular. Neste treino realiza-se o movimento até a falha concêntrica (fase de puxar o peso). Em seguida, faz-se a redução da carga, em torno de 15% a 20%, e executa-se novamente o exercício até a exaustão. Faça, no máximo, duas alterações de peso.

É importante saber que trocar a ficha só por trocar não faz muito sentido, mesmo que já tenha se passado muito tempo. A troca é mais aconselhada naquelas ocasiões em que algum músculo não esteja acompanhando o desenvolvimento geral do seu corpo ou ainda para aprimorar alguma aptidão física.

Para ter os melhores resultados é preciso que haja planejamento. Ao iniciar o treino, você e seu instrutor devem definir o objetivo e o prazo para alcançá-lo.

Seja bastante realista quanto ao prazo e objetivo, pois musculação exige muito disciplina e dedicação! E se você ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar alguma sugestão escreva para nós através dos comentários!

Comentários

 

Comments are closed.