prebióticos e probióticos - sistema gastrointestinal

Como probióticos e prebióticos podem ajudar nos treinos e na sua saúde

A saúde do sistema intestinal é fundamental para qualquer pessoa, mas ainda mais para atletas. Probióticos e prebióticos ajudam nessa missão

A saúde intestinal é algo que deve ser levado à sério por todas as pessoas. E ainda mais por atletas.

Isso porque o funcionamento do sistema gastrointestinal influencia em várias outras funções do organismo e, caso não esteja “em ordem”, vai te impedir de treinar. Só que não é só isso – até porque, mesmo quem não treina precisa se preocupar com a saúde.

Já existem estudos que comprovam relação entre alimentos que protegem o sistema gastrointestinal com algumas funções diretamente ligadas à prática de atividades físicas.

Esses alimentos, chamados prebióticos e probióticos, precisam estar na dieta de qualquer pessoa, e mais ainda daqueles que treinam.

Quer saber mais sobre eles? Então se liga:

Por que o flora intestinal equilibrada é importante?

A microbiota intestinal é composta por uma variedade de micro-organismos, principalmente bactérias. Essas bactérias são responsáveis por diversos aspectos da saúde no organismo e as pesquisas dos últimos anos mostram uma série consequências em decorrência do desequilíbrio destas bactérias.

Ela atua principalmente na modulação do sistema imune, degradação de componentes não-digeríveis da dieta, proteção do epitélio intestinal contra patógenos e na síntese de vitaminas – tiamina, riboflavina, piridoxina, B12 e K.

Ou seja, além de fortalecer o sistema imunológico – que é sua principal função – ela mantém a saúde do intestino, protegendo contra agentes causadores de doenças – alergias, infecções, etc – e atua na produção de vitaminas essenciais.

O que interfere no equilíbrio da flora intestinal?

A microbiota é regulada por fatores genéticos e ambientais, sendo a alimentação o principal fator modulador da microbiota intestinal, por exemplo: uma alimentação com alto teor de gorduras, principalmente as saturadas cria um ambiente propício para bactérias ruins e outros patógenos.

Já o consumo de vegetais e frutas favorecem a criação de uma ambiente saudável e equilibrado para as bactérias boas – probióticos.

O equilíbrio da flora também pode ser mantido por meio de uma alimentação sistemática rica em probióticos, prebióticos e sibióticos.

Probióticos

O que são?

São organismos vivos que, quando consumidos em quantidades adequadas, podem alterar a microflora intestinal e aumentar os efeitos bacterianos benéficos em relação aos efeitos danosos no intestino, e, consequentemente melhorem a flora intestinal e a saúde de forma geral.

Fontes

Entre os tipos de culturas probióticas, destacam-se o Bifidobacterium e o Lactobacillus.

Podem ser encontrados em alimentos como iogurte, kefir, derivados do leite fermentados (como Yakult), vegetais fermentados tais como picles, kim chi e chucrute e produtos de soja fermentados tais como missô e tempeh.

Os probióticos também podem ser consumidos através de suplementos alimentares em cápsulas ou pó, principalmente.

Benefícios

Os probióticos são indicados para modular, preservar e restabelecer o equilíbrio do intestino, reduzindo o número de bactérias patogênicas e suas toxinas e, consequentemente, a produção de citocinas pró-inflamatórias.

A ação dos probióticos sobre o TGI inclui fatores como efeitos antagônicos, competição e efeitos imunológicos.

Para quem treina e quem deseja reduzir peso corporal, o consumo de probióticos pode ser interessante.

Em relação a atividade física:

  • A capacidade de probióticos para modular as perturbações na função imune após o exercício realça o potencial de uso em indivíduos expostos a altos graus de estresse físico – como mostra este estudo aqui
  • Um estudo de 2012, mostrou que a suplementação de probióticos melhora a função da barreira intestinal e reduz a inflamação em atletas de resistência. 

Em relação ao sobrepeso e obesidade:

Um estudo realizado em 20114, constatou que houve redução no ganho de peso corporal, na deposição de gordura, nos níveis de triglicerídeos e de glicose plasmáticos, após administração de probióticos. 

Outro estudo atribuiu esse benefício ao fato de o probiótico aumentar a produção de um ácido graxo de cadeia curta, o butirato, que estimula a liberação do hormônio GLP-1, o qual age no hipotálamo promovendo a sensação de saciedade, além de favorecer a liberação da insulina e maior captação da glicose. 

Outros benefícios são: melhora do funcionamento intestinal de forma geral, redução dos compostos tóxicos, prevenção da integridade intestinal e atenuação dos efeitos de outras doenças intestinais, prevenção doença inflamatória, colite e alguns tipos de câncer, melhora da intolerância à lactose e estimulação do sistema imunológico.

Prebióticos

O que são?

São carboidratos não digeríveis que afetam beneficamente o hospedeiro, por estimularem seletivamente a proliferação ou atividade de populações de bactérias desejáveis no cólon – probióticos.
O prebiótico também pode inibir a multiplicação de patógenos, garantindo benefícios adicionais à saúde.

Fontes

Prebióticos: lactulose, inulina e diversos oligossacarídeos que fornecem carboidratos que as bactérias benéficas do cólon são capazes de fermentar.

Estão presentes em diversos alimentos,aspargos, alho, alcachofra, alho-poró, cebolas, cevada, feijão, aveia, quinoa, centeio, trigo, batatas, inhame, maçãs, bananas, bagas, frutas cítricas, kiwi, linhaça, chia, etc.

Benefícios

Além de favorecer o equilíbrio das bactérias boas, os prebióticos parecem auxiliar na redução do risco da obesidade e comorbidades associadas ou como coadjuvante no tratamento dessa condição clínica.

Um estudo em ratos de 2011, mostrou que a administração de prebióticos foi capaz de controlar a adiposidade. http://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0955286310001488 Outro estudos, evidenciaram o aumento na sua secreção de hormônios que favoreceram a redução da resistência à insulina e a redução do apetite.

Com isso, pode-se dizer que os prebióticos podem exercer efeitos anti obesidade pela modulação da adipogênese.

Os prebióticos também melhoram a digestão e absorção de açúcares, do metabolismo de glicose e gordura, prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer, na modulação da resposta imunológica e na prevenção das doenças alérgicas, bem como na melhora do funcionamento intestinal de forma geral.

Simbiótico

O que são?

Simbióticos são a combinação de probiótico e prebiótico em um produto. 

Em conclusão, é possível aumentar o número de microrganismos promotores da saúde no trato gastrintestinal com o consumo de probióticos pela alimentação ou suplementação, bem como pelo consumo de prebióticos, que vão modificar seletivamente a composição da microbiota, fornecendo ao probiótico vantagem competitiva sobre outras bactérias do ecossistema.

Comentários