periodização

Periodização nutricional: a estratégia que se adapta aos seus objetivos

A periodização nutricional pode te ajudar a dar um boost nos treinos através de uma alimentação específica que varia de acordo com seu objetivo! Confira!

Você já ouviu falar de Periodização Nutricional?

Esse termo já foi muito utilizado em treinamentos de atletas profissionais, mas com o tempo tem ganhado mais espaço entre amadores e frequentadores assíduos da academia.

Trata-se de uma estratégia de alimentação que varia de acordo com diversos fatores, principalmente o treino, questões individuais, evolução e experiência, entre outros.

Se você nunca ouviu falar, fique tranquilo: esse post vai explicar como tudo funciona. Se liga:

Periodização nutricional: a estratégia que se adapta aos seus objetivos

A periodização nutricional se refere à estratégias nutricionais e alimentares utilizadas em atletas, que variam conforme o tipo e intensidade do treinamento, rotina alimentar e objetivo a ser alcançado de cada pessoa.

As alterações fisiológicas e nutricionais desencadeadas pelo esforço físico podem conduzir o atleta a atingir o limite entre a saúde e doença, se não houver a compensação adequada desses eventos.

Ou seja, é preciso ter uma alimentação adequada para suprir os nutrientes e vitaminas que seu corpo precisa para funcionar melhor durante o treino.

De nada adianta viver só de frango com batata doce, se seu corpo precisa de uma nutrição mais completa.

As respostas ao exercício estão associadas à interação de diferentes variáveis, como o tipo de estímulo, a duração e intensidade do esforço físico, bem como o estado nutricional do atleta.

Por isso, estratégias alimentares diferenciadas são a base para potencializar a performance esportiva, e fazer com que você dê o seu melhor!

Veja algumas estratégias que podem ser utilizadas na periodização:

Training Low

Uma das estratégias de periodização nutricional que vem sendo bastante utilizada é conhecida como Training Low.

Este método se baseia em um treinamento com baixa disponibilidade de carboidrato, baixo glicogênio muscular, hepático ou baixa ingestão de carboidrato durante o exercício.

Ou seja, a pessoa inicia o exercício com uma baixa reserva de energia vinda da ingestão de carboidrato e faz um consumo reduzido (ou zero) de carboidratos durante o exercício.

O principal objetivo do treino com baixa disponibilidade de carboidratos é proporcionar uma melhora de rendimento e desempenho esportivo, a partir de adaptações do treinamento, e uma consequente melhora da oxidação (queima) de gordura.

Training High

Outra estratégia que pode ser utilizada é a Training High, que se refere ao treinamento com alta disponibilidade de carboidratos.

Ao contrário do método Training Low, explicado acima, essa estratégia visa que o atleta entre no treinamento com os estoques lotados de glicogênio hepático e muscular, e um consumo adequado de carboidrato durante o exercício.

Isso porque o carboidrato é o substrato mais eficaz para manter a qualidade do exercício, principalmente em treinos de longa duração, e ainda auxilia a reduzir os sintomas da fadiga.

Training the gut

Problemas gastrointestinais são bastante comuns entre atletas endurance.

Esses problemas podem acontecer pelo fato do intestino não estar preparado para absorver de forma eficaz todos os nutrientes que recebe, principalmente durante o exercício físico.

Por isso, essa outra estratégia é utilizada.

Ela consiste em treinar e desenvolver a microbiota do atleta a fim de que ocorra a correta distribuição de nutrientes, principalmente carboidratos, além de ajudar a reduzir os problemas gastrointestinais durante o exercício físico.

Independente de qual é seu objetivo no treino, é sempre importante que a nutrição e o exercício físico andem juntos.

Por isso, se você se interessou em algumas dessas estratégias de periodização, não se esqueça de consultar um nutricionista antes e descobrir qual método será um sucesso garantido para melhorar sua performance durante o treino.

Comentários