pensamentos equivocados sobre musculação

4 pensamentos comuns e totalmente equivocados sobre musculação

A musculação é cheia de “verdades absolutas” que não são tão verdadeiras assim. Veja alguns pensamentos equivocados que muita gente leva a sério!

Como o futebol, a musculação é um esporte cheio de “verdades absolutas”, onde qualquer entusiasta se considera especialista. Não seria um grande problema, se no caso da musculação as pessoas não levassem essas coisas à sério, fazendo com que grandes bobagens sejam colocadas em prática todos os dias nas academias.

Entre os milhares de mitos que cercam o esporte, nós escolhemos alguns desses pensamentos que as pessoas levam a sério, mas que são totalmente equivocados – e, por isso, deveriam ser deixados de lado.

Quer conhecer alguns pensamentos que não fazem nenhum sentido, mas muita gente leva a sério? Então se liga:

4 pensamentos comuns e totalmente equivocados sobre musculação

1- “Se não doeu, o treino foi ruim”

O fisioterapeuta Rafael Alaiti, do Instituto Opus Magnum, já explicou detalhadamente o assunto neste vídeo aí em cima.

Em resumo, a história é a seguinte: esse papo de “sem dor, sem ganho” é pura balela.

É claro que um bom treino pode provocar dores, e que essas dores são bom um sinal. Mas existem dois detalhes importantes que o “no pain, no gain” simplesmente ignora:

  • 1º: nem todo bom treino deixa o atleta dolorido – o vídeo acima mostra a explicação da ciência para essa afirmação
  • 2º: nem toda dor é positiva – ela pode ser sinal de um problema sério, que só vai se agravar se você achar que é uma dor indicando que você treinou bem

Saber separar a dor positiva da dor negativa (aquela que indica lesões, problemas na execução dos movimentos, etc.), é algo muito difícil, e é por isso que o “sem dor, sem ganho” é perigoso – a maioria das pessoas partem da premissa que dore pós-treinos são sempre um bom sinal.

A melhor forma de não cair nessa roubada é prevenindo – neste outro post a gente já deu dicas para fazer isso. A outra é levar toda dor a sério e investigar caso ela seja insistente, porque pode, sim, ser um problema sério.

2- “Treino de força resolve”

Desenvolver a força é fundamental e um dos pilares para o crescimento muscular. Mas força não resolve tudo.

É comum, por exemplo, que pessoas com problemas de estabilidade ou outras disfunções do tipo acreditem que basta treinar e desenvolver a força corporal para resolver a questão.

Isso pode ser útil para atletas bastante jovens, mas não funciona tão bem com pessoas um pouco mais velhas e experientes.

Em geral, se você tem alguma disfunção relativa aos padrões de movimento, aumentar a carga só vai agravar o problema. Logo, a força não é a solução ideal para esses problemas.

Nesses casos, só um profissional de educação física pode apontar o caminho seguir, pois ele varia caso a caso, de acordo com questões individuais de cada atleta.

3- “Não preciso fazer alongamento”

alongamento

O desgosto pelo alongamento muscular é uma mistura de ignorância e preguiça. O alongamento é útil, sim, para qualquer atleta.

Um alongamento dinâmico, por exemplo, pode ser uma ótima opção de aquecimento antes de pegar pesado no treino. Isso não só ajuda na prevenção de lesões como pode melhorar o seu desempenho.

Depois do treino, o alongamento é capaz de acelerar o processo de recuperação muscular – parte essencial da hipertrofia -, aliviar dores pós-treino (o que vai te permitir treinar em melhores condições nos dias seguintes), e ainda prevenir lesões.

No pós-treino, exercícios com rolo de espumar são uma alternativa simples, rápida e eficiente – ou você pode experimentar um equipamento específico para isso, como o Theragun, que a gente mostrou neste outro post.

4- “Puxar ferro é só para quem quer ficar gigantesco”

Cristiano Ronaldo - musculação

Esse é tão estúpido que dá vontade de simplesmente ignorar. Mas como incrivelmente é um pensamento comum, vale entrar na questão.

Para começo de conversa, todo atleta de alto rendimento faz musculação. Basta olhar jogadores de futebol, por exemplo. E nenhum deles tem o corpo sequer próximo de um bodybuilder.

Músculos fortes não são necessariamente gigantes – assim como músculos gigantes não são necessariamente fortes. Então, é óbvio que a musculação pode oferecer vários benefícios para quem não quer ficar monstrão.

Condicionamento físico, força, resistência, potência, mobilidade, estabilidade, controle motor e várias outras coisas podem ser trabalhadas e aprimoradas na musculação, e são muito úteis para qualquer pessoa.

 

Comentários