pegada gancho

Pegada gancho: como ela pode te ajudar nos exercícios de puxada

Técnica usada por atletas de LPO pode ser muito útil também na musculação, em exercícios como levantamento terra e remadas.

Os atletas do halterofilismo – ou levantamento de peso olímpico (LPO) – não tem o shape mais insano do mundo, mas têm segredos que podem ser muito úteis para quem quer um corpo trincado – a pegada gancho é um ótimo exemplo.

Para esses atletas, o que importa não é ter músculos definidos e um corpo esteticamente impecável, e sim força e técnica para levantar a maior quantidade de peso possível.

Tendo em vista que nas competições de LPO não é permitido usar acessórios que facilitem o levantamento de peso – como straps, por exemplo – a técnica está sempre em primeiro lugar.

Algumas das técnicas usadas pelos atletas de LPO podem ajudar muito na musculação. A pegada gancho, por exemplo, pode ser aplicada em exercícios de puxada como o levantamento terra e as remadas, permitindo que você levante cargas maiores sem impactar negativamente na execução do movimento.

Além disso, pode evitar que você apele para straps ou outro acessórios que, apesar de úteis em algumas situações, podem diminuir a efetividade do treinamento quando usados indiscriminadamente.

Pegada gancho: como ela pode te ajudar nos exercícios de puxada

Por que mudar a pegada?

pegada gancho - hook grip

Na verdade, a pegada gancho foi criada para o LPO, com o objetivo principal de impedir a barra de girar nas mãos – é importante lembrar que, no LPO, a barra deve ser levantada até acima da cabeça.

Não existe muito o risco da barra girar em exercícios como o terra, o stiff ou a remada curvada, mas o fato é que a pegada gancho deixa a barra muito mais firme e segura.

Esta é a principal vantagem da pegada gancho sobre a tradicional: ela trava a barra com muito mais firmeza, impedindo que escape das mãos ao longo do levantamento e dando maior segurança durante o exercício.

Isso é particularmente importante não só para evitar acidentes, mas porque o sistema nervoso é capaz de “prever” situações de risco. Se você for levantar uma carga elevada com uma pegada fraca, seu cérebro não permitirá que os músculos fadiguem agressivamente, como uma forma de proteção.

Resultado? Você não vai conseguir realizar o movimento. É um mecanismo de segurança do próprio corpo e não é possível enganá-lo. A solução? Uma boa pegada.

A melhor forma de ter uma boa pegada é desenvolvendo os músculos do antebraço, mas a pegada gancho, por ser naturalmente mais firme e segura, pode ajudar nesse caminho.

Ainda mais porque a pegada gancho é mais eficiente, e por isso exige menos tensão dos antebraços.

LEIA MAIS: 3 erros na pegada que podem comprometer o seu treino 
LEIA MAIS: 7 músculos que você precisa parar de negligenciar imediatamente 
LEIA MAIS: Calos nas mãos: como lidar com eles e evitar que se torne um problema

Como fazer

pegada gancho - como fazer

Nas pegadas tradicionais, o polegar fica sobre os outros dedos. Na pegada gancho, é o contrário.

O polegar envolve a barra e é mantido no lugar pelos outros dedos – em especial o indicador e o dedo médio, que envolvem o polegar.

Apesar de as pegadas tradicionar produzirem um pouco mais de força, não são tão seguras. E, na pegada gancho, o que se perde de força é compensado pela segurança, evitando que o mecanismo de segurança do sistema nervoso entre em ação.

Quando começar a usar esse tipo de pegada, ela parecerá um tanto desconfortável, mas isso é principalmente questão de costume. Após algumas semanas, você já estará habituado e não passará nenhum tipo de sofrimento. Caso continue incomodado, uma bandagem ou esparadrapo no polegar resolverá o problema

Comentários