carga

4 motivos para não exagerar na carga na hora de levantar peso

A ideia de que “quanto mais peso você levantar, mais você vai crescer” não é bem verdade. Aqui, mostramos 4 razões para você não exagerar na carga

É bastante provável que você já tenha ouvido na sua academia algo como “quanto mais peso levantar, mais você vai crescer”. Mas nem sempre isso é verdade.

Em geral, cargas menores só são levadas em consideração em duas situações: 1- se você está se recuperando de uma lesão ou vem de muito tempo sem treinar; 2- se você está começando, e quer se preparar para levantar cargas monstruosas.

Acontece que esse pensamento é equivocado. Pesquisas recentes já provaram que levantar cargas menores pode ser tão eficiente quanto levantar cargas elevadas, mas com algumas vantagens.

Aqui, mostraremos algumas delas para provar que nem sempre levantar o máximo de peso possível é a melhor opção. Confira!

4 motivos para não exagerar na carga na hora de levantar peso

1- Mais tempo de esforço

carga 3

Um estudo publicado no Journal of Applied Physiology mostra que é o tempo de esforço, não a carga ou intesidade, o principal fator para o desenvolvimento muscular.

Acabando com o mito de que a hipertrofia só acontece com levantamento de cargas elevadas, o estudo mostrou que os indivíduos que levantaram pesos leves até atingir a falha muscular ganharam tanta massa muscular e tanta força quanto aqueles que treinaram com cargas elevadas.

Mas mais do que isso, os que atingiram a falha muscular com cargas leves tiveram um aumento maior no nível de testosterona em relação aos que fizeram menos repetições com cargas maiores.

O segredo está no esforço exercido, segundo o PhD em cinesiologia e autor do estudo, Robert Morton. “Se você quer crescer, o que vai desenvolver seus músculos é o quanto de esforço você faz, e não quanta carga utiliza”, disse.

2- Maior amplitude de movimento

carga 1

Cargas mais leves permitem uma maior amplitude de movimento em relação ao exercício com cargas elevadas. A menor amplitude implica em uma performance pior.

Em um estudo de 2014 do Journal of Strenght and Conditioning Research, pesquisadores testaram um treino de força de 12 semanas e os ganhos de massa magra e força do grupo com maior amplitude foi muito maior.

É bastante claro que, com cargas muito elevadas, fica complicado realizar movimentos muito longos. E, com as pesquisas recentes, o quanto isso é pior para o seu desenvolvimento.

3- Maior probabilidade de acertar o “alvo”

carga 4

Quando você usa cargas menores, você consegue isolar mais os músculos, simplesmente porque eles não precisam do “apoio” de músculos secundários para realizar os movimentos. Isso acelera o crescimento do músculo em questão.

Um exemplo: quando você faz exercícios para o tríceps com cargas muito elevadas, os músculos dos ombros, que são maiores que os tríceps, acabam desempenhando papel mais relevante no exercício. Assim, você acaba desenvolvendo muito mais os ombros do que o tríceps.

Com cargas mais leves, você não recruta os músculos do ombro no exercício, trabalhando – crescendo – apenas o músculo que você quer.

4- Menor risco de lesão

carga 2

Levantar cargas maiores do que o seu corpo pode aguentar é quase a certeza de uma contusão.

Além disso, uma lesão muscular deixa o músculo propenso à futuras e repetidas lesões, segundo Andrew Vigotsky, pesquisador de biomecânica do Hospital de Cirurgias Especiais de Nova York.

Você não consegue fazer o movimento adequado com cargas muito elevadas. E, quando a execução é comprometida, a chance de sofrer uma lesão é imensa.

Então, esqueça a ideia de levantar o peso mais pesado possível. Você não vai ter nenhum grande benefício fazendo isso.

E, claro, não esqueça de conversar com seu personal para definir a carga mais adequada para você – porque é evidente que quando falamos em “cargas menores”, a ideia não é treinar com penas e bolinhas de papel, mas sim evitar o desperdício de esforço, que deve ser prolongado e sem tanta intensidade quanto se imagina.

LEIA MAIS: 5 exercícios funcionais que vão te ajudar a desenvolver o core 
LEIA MAIS: Boxe pode ser seu aliado na busca por força e definição muscular

Comentários