Como o jejum intermitente pode ajudar a queimar gordura

O jejum intermitente é a nova tendência das academias. Já ouviu falar? Descubra tudo sobre esse assunto e veja se é uma boa opção para você!

O jejum intermitente é a nova tendência das academias.

Como se firmou como uma grande novidade, muita gente ficou curiosa e acabou aderindo à nova moda. Mas a dúvida sobre se essa é ou não uma atitude saudável ficou no ar.

Afinal de contas, crescemos ouvindo que é muito importante comer antes de se exercitar.

Mas será que isso tudo realmente faz sentido? Será que o jejum intermitente é perigoso? Como o seu corpo reage a esse tipo de atitude? Entenda melhor aqui!

O que é jejum intermitente?

O jejum intermitente é um tipo de jejum muito explorado por quem está praticando dietas com um perfil mais restritivo.

Neste caso, a pessoa fica sem comer por períodos maiores de tempo, considerando um intervalo de 3 a 6 horas.

A recompensa é uma superalimentação que vem em seguida, trazendo a recuperação dos nutrientes que o corpo foi privado durante esse período.

Essa é uma medida que gera muita polêmica, já que o ideal é não pular nenhuma das refeições, pois assim você mantém o seu metabolismo acelerado e o corpo funcionando perfeitamente.

Além disso, as pessoas acreditam que, caso não existam nutrientes no corpo, o organismo usará os tecidos musculares para ter energia, fazendo com que você perca a massa muscular.

Mas será que é verdade?

Embora a sabedoria popular diga algumas coisas, pesquisas e estudiosos têm provado o contrário.

É claro que esse conhecimento técnico não se difunde com tanta facilidade, até mesmo porque, para grande parte das pessoas, é bem difícil interpretar o que está sendo dito.

A perda de massa muscular pode acontecer por muitos motivos, por exemplo, pelo efeito catabólico, que é quando seu corpo destrói os tecidos musculares em busca de energia.

No caso do jejum intermitente, esse é justamente o receio de quem busca a hipertrofia muscular.

“Se eu ficar muito tempo sem comer será que meu corpo vai procurar energia nos tecidos musculares?” é uma pergunta muito comum.

Parece que somente os jejuns com um perfil mais severo pode gerar o catabolismo das suas proteínas, pois ele acontece justamente quando as reservas de glicogênio se esgotaram.

Portanto, acredite se quiser, mas o jejum intermitente preserva a sua massa muscular e ainda pode trazer outros benefícios, como a queima de gordura corporal.

Segundo o pesquisador John Kiefer, o corpo só começa a perder massa muscular depois de 12 horas de jejum.

Pode parecer um sonho, mas é verdade! Antes de começar a optar pela queima dos seus tecidos musculares como fonte de energia, o seu corpo opta pelas fontes de gordura. Nada mal, né? Você pode entender esse processo com mais detalhes abaixo.

Quais os cuidados que devo ter?

Entretanto, parar de comer por períodos mais longos de uma hora para outra não é uma boa ideia.

Se você tem um baixo teor de glicemia no seu sangue, por exemplo, talvez seja melhor manter a alimentação mais regrada e não sofrer com as tonturas e desmaios causados pela ausência de alimentação.

Portanto, não se esqueça de procurar um profissional especializado antes de sair adotando essas medidas, pois cada um tem uma realidade e um limite no organismo — e é muito importante respeitá-lo!

Como incluir o jejum intermitente na minha rotina?

Nesse caso, se você nunca adotou essa prática, é bom começar com calma parceiro!

Não adianta começar fazendo um exercício pesado demais ou querendo lutar boxe ou fazer CrossFit logo de cara.

Comece aos poucos, monitorando sua frequência cardíaca e como seu corpo responde a esta novidade. Assim você não se expõe a nenhum tipo de risco!

Não se esqueça de beber muita água e se manter hidratado, assim você não compromete seu rendimento. E claro: tenha sempre um alimento por perto, caso sinta algum tipo de desconforto como enjoos, suor frio e vista turva.

Se isso acontecer, não hesite e coma logo uma fruta ou uma barrinha de cereal.

Existem aqueles que acreditam que ficar sem comer pode prejudicar a saúde, trazer problemas para o estômago e ainda dar fraqueza. É claro que isso pode acontecer, mas saiba que essa é a exceção e não a regra.

Quais são os resultados desse hábito?

A grande procura das pessoas por essa nova prática não é tão injustificável! Muito pelo contrário. O que leva muitos deles a fazer isso é a maior facilidade em queimar as gorduras. Portanto, se prepare para esse benefício!

Além disso, se exercitar enquanto faz um jejum intermitente pode ser benéfico em outros sentidos. Um deles é aquela ajuda para quem quer emagrecer, principalmente, se estiver aliado à prática de exercícios físicos.

Pois é, isso pode parecer loucura para algumas pessoas, mas existe muita gente optando por se exercitar no período de jejum, acreditando que terão resultados mais rápidos e mais efetivos dessa forma. E pode ser verdade!

Nesse caso, o seu corpo acaba de queimar as reservas de glicogênio (provenientes, principalmente, do carboidrato) em um primeiro momento.

Em seguida, como falamos, ele procura a gordura. E não é qualquer gordura, é a que já estava no seu corpo. Pois é, essa prática pode ser uma grande aliada na redução de medidas!

Agora que você já sabe que o jejum intermitente também não vai comprometer o seu metabolismo e nem a sua massa muscular, que tal adotá-lo na sua rotina? Comece tentando uma vez por semana e desfrute de seus benefícios. Antes de iniciar esse tipo de conduta, procure um profissional para adequar esse estilo de dieta com sua rotina e verificar se a sua saúde está em dia.

 

Comentários