habitos saudaveis, comer fora

4 hábitos alimentares que você pensa que são saudáveis, mas não são

Nem tudo o que você vê por aí como sendo saudável pode ser realmente bom para você, além de poder prejudicar seus resultados

Você treina pesado, se preocupa com a alimentação, tenta dormir bem… e os resultados não vêm. Existem algumas possibilidades pra explicar esse fracasso – algumas já citadas aqui no Feito de Iridium, como overtraining ou platô. mas ainda pode ser outra coisa.

Porque às vezes, as pessoas acham que estão fazendo tudo certinho, que tem um estilo de vida mais saudável possível, mas na verdade os problemas estão passando batido, sem serem notados ou percebidos.

Por isso, litamos aqui alguns hábitos que são capazes de arruinar ou impedir seus ganhos, e que muita gente comete sem perceber – ou sem se dar conta que são prejudiciais.

Se liga:

4 hábitos alimentares que você pensa que são saudáveis, mas não são

1. Comer fora de casa muitas vezes

homem, comendo, fora

Cozinhar todo dia em casa nem sempre é uma tarefa fácil. Para cozinhar de uma maneira que você obtenha bons resultados, demanda certo cuidado, tempo e dedicação.

Por isso que muita gente acaba escapulindo, almoçando fora, jantando fora. E olha que nem precisa ser fast-food.

Restaurantes ‘normais’ servem mais colesterol do que quando você cozinha em sua própria casa, afinal eles não têm o mesmo cuidado que você na preparação do alimento, mas que fique claro que eles também não preparam o alimento de qualquer jeito.

Isso foi provado em uma pesquisa feita pela Universidade de Illinois, nos EUA, onde clientes de fast-food consumiam 3,5 gramas a mais de gordura trans e clientes de restaurantes 2,5 gramas extras.

2. Abusar de adoçantes artificiais

adoçante

Muitas pessoas acham que por estarem trocando o açúcar pelo adoçante estão fazendo a escolha certa e sendo saudáveis.

Errado. Porque os componentes destes adoçantes são tão ou mais nocivos que os do próprio açúcar.

Uma pesquisa feita pela Universidade de Purdue e o Instituto Nacional de Saúde mostrou que a sacarina, presente no adoçante, pode levar ao ganho de peso.

No teste, ratos que consumiram os adoçantes artificiais acabaram ficando desorientados, sem conexão entre corpo e cérebro, efeito causado ao consumir doces.

3. Confiar nas embalagens

mercado, pessoa, lendo

A indústria dos alimentos sabe bem o poder do marketing. E, para aumentar as vendas, usam um monte de artifícios capazes de persuadir e até ludibriar os consumidores.

Claro que não estamos falando das informações técnicas, como lista de ingredientes e tabelas nutricionais, mas do uso das embalagens para fins publicitários.

O caso mais óbvio é o uso de termos como “light” e “saudável” de forma indiscriminada, até para coisas que sabidamente fazem mal à saúde. Outra, são os nomes, marcas, cores, logotipos e todos os artifícios capazes de dar uma cara boa a um alimento péssimo. 

O pior é que essa tática funciona. Uma pesquisa feita pela Universidade de Houston provou que os consumidores tendem a consumir o produto por conta da mensagem contida no rótulo.

Isto é, as pessoas não importam de saber se realmente aquilo é tão saudável quanto parece: se está na embalagem, é verdade.

Na pesquisa, 318 pessoas buscaram aleatoriamente por alimentos considerados ‘orgânicos’ e imagens de photoshop que não tinham nada a ver com essas palavras.

Desta maneira, foram criados alguns alimentos: molho de maçã ‘orgânico’, lasanha ‘grãos integrais’, manteiga de amendoim ‘natural’, entre outras.

Os pesquisadores descobriram que os participantes eram condicionados a consumir produtos que eram considerados saudáveis de acordo com o rótulo, enquanto os sem a terminologia saudável, não.

Não caia nessa. Verifique se de fato a “promessa” da embalagem é real – e tanto a lista de ingredientes quanto a tabela nutricional são essenciais para isso.

4. Consumo excessivo de bebidas esportivas

Homem, bebida esportiva

Se em todo treino você consome uma bebida cheia de eletrólitos, saiba que está ingerindo calorias, açúcar e sódio em grandes quantidades. 

E você já deve saber o quanto isso pode boicotar seus ganhos, certo? Ainda mais se o seu objetivo for perder peso.

As únicas coisas que você perder se tomar isotônicos ou hidroeletrolíticos em excesso são tempo e dinheiro – as calorias, aditivos e outras substâncias ruins contidas nestes produtos vão totalmente contra os seus objetivos.

Um estudo, aliás, mostra que quem consome bebidas esportivas todos os dias ganha mais peso em um período de 3 anos que as que não consomem.

Então, não caia nessa de que essas bebidas “esportivas” são tudo o que você precisa após um treino ou prática esportiva. De vez em quando, pode até ser. Mas, na rotina, prefira água ou no máximo uma água de coco ou suco 100% natural.

LEIA MAIS: 6 dicas para você preparar uma salada que vale por uma refeição
LEIA MAIS: 6 maneiras diferentes e saudáveis de consumir o abacate
LEIA MAIS: Verdade ou mito: peito de peru é mais saudável do que presunto?

 

 

Comentários