Gordura boa? Proteste reprova 7 marcas de azeite. Confira

Muitas marcas têm enganado o consumidor o fazendo pagar mais caro por um produto que não tem muita qualidade e ainda pode fazer mal!

A PROTESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor é uma entidade civil sem fins lucrativos.

Ela atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos consumidores brasileiros desde 2001.

A missão da PROTESTE é promover a defesa dos consumidores e prover a melhor decisão de compra e contribuir para melhorar as relações de consumo na sociedade.

Assim, ela costuma realizar diversos testes de vários produtos.

E o escolhido da vez foi o azeite.

Desde 2002, a PROTESTE testa azeites e dessa vez bateu o novo recorde – quase 70 marcas analisadas.

Mas, mais uma vez a PROTESTE identificou fraude nos produtos e encontrou azeites virgens e lampantes sendo vendidos como extra-virgem. 

Dessas 69 marcas, 17 apresentaram irregularidades.

Quer saber quais? Se liga:

Gordura boa? Proteste reprova 7 marcas de azeite. Confira

Entenda antes os tipos de azeite

azeite

Para saber se você realmente está procurando um produto de qualidade e saber se o azeite é extra-virgem, você deve conferir os resultados do teste.

Primeiro, você deve saber que existem 3 principais tipos de azeite: extra-virgem, virgem e lampante.

Todos são obtidos exclusivamente da azeitona, porém diferem em relação a origem, o processo, sabor e nível de qualidade.

Extra-virgem: mantém seus nutrientes benéficos integralmente, pois não é refinado.

Isso o torna o azeite mais puro e mais saudável. Sua acidez é de até 0,8%. Além disso, possui sabor acentuado.

Virgem: passa por processos físicos e mecanismos e apesar de possuir uma boa qualidade.

Pode apresentar diferença no sabor e aroma quando comparado com o extra-virgem, pois não é tão puro e pode apresentar defeitos pela degradação da azeitona antes da extração.

Possui acidez de 0,8 a 2%.

Lampante: tem uma acidez intensa – mais de 2%. Não é recomendado para consumo humano de forma direta.

Para ser consumido ele deveria ser misturado a outros óleos e passar por refino.

Agora ficou claro que a melhor opção é o extra-virgem e que você deve fugir do azeite lampante, né?

Veja os resultados e não seja mais enganado.

17 azeites apresentaram irregularidades

azeite de oliva

Os azeites foram reprovados por não estarem em conformidade com a legislação podem ser divididos em duas categorias:

  • Fraudados

Produtos reprovados por apresentar indícios da adição de outros óleos vegetais e que não podem ser considerados como azeites, já que os azeites devem ser compostos exclusivamente por azeitonas.

Os produtos reprovados, portanto, não apresentam uma boa qualidade e sua compra não é recomendada.

São eles: as reprovadas foram Barcelona, Porto Valência, Casalberto, Olivenza, Faisão Real, Do Chefe e Borgel.

  • Fora de tipo

Os azeites considerados fora do tipo são aqueles que são vendidos como extra-virgem, mas não foram considerados extra-virgem pela análise sensorial, sendo enquadrados em categorias inferiores (virgem e lampante).

Ou seja, você paga mais por um produto de qualidade inferior.

A PROTESTE ainda avaliou o mesmo lote do produto por três painéis sensoriais reconhecidos pelo COI e que devem ser unânimes na avaliação, para não gerar dúvidas.

Se você quiser ver com detalhes os resultados e análises de cada azeite, clique aqui.

 

 

LEIA MAIS: Entenda como a alimentação pós-treino influencia no ganho de massa muscular
LEIA MAIS: Construa um shape seco e definido para o verão com estas 14 dicas

Comentários