gh

GH: tudo o que você precisa saber sobre ele

O GH é um hormônio fundamental para quem quer crescer – não por acaso, é conhecido como “Hormônio do Crescimento”. Saiba tudo sobre ele

Se você malha pesado e ainda não sabe o que é GH, está perdendo tempo, sabia?

Mas foi justamente pra acabar com esse problema que fizemos este post.

Elaboramos um guia completo sobre este hormônio que é fundamental para quem quer crescer – não é por acaso que ele é conhecido como “Hormônio do Crescimento”.

Assim você fica sabendo como ele funciona, quais os eventuais perigos e, de quebra, tira todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Ficou interessado? Cola aqui então e vamos juntos!

Afinal o que é o HGH?

O HGH é um hormônio produzido pela glândula hipófise, que fica na base do crânio.

Ele é tão famoso que já é estudado há mais de 40 anos por meio de sua estrutura de aminoácidos.

Além disso, há mais de 10 anos ele já é produzido em laboratório, podendo ser utilizado em situações específicas, como problemas na sua produção.

Funções

Esse hormônio tem um poder e tanto.

Entre suas atribuições está o crescimento do corpo, desde os primeiros anos de vida, quando o processo começa, até o fechamento das cartilagens que rodeiam os ossos (epífises).

Essa última parte acontece no final da adolescência, na fase da puberdade, entre os 15 e 20 anos de idade.

Mas não é só isso.

Ele continua atuando até quando você envelhece – em proporções menores, claro, já que suas taxas vão caindo após os 30 anos.

Ele também tem uma função muito importante no metabolismo.

Uma delas é aumentar a síntese de proteínas, principalmente as que acontecem nos ossos e no músculo.

Tudo isso porque o GH aumenta a produção do ácido ribonucleico (RNA), que é o responsável pela síntese proteica nas células.

Dessa forma, a síntese de proteínas pode acontecer com mais rapidez e eficiência!

Com isso, ele também potencializa o transporte dos aminoácidos.

Essa é uma maneira efetiva para que aumente a síntese de proteínas nos seus músculos e ainda reduza o catabolismo. Faz todo sentido, né?

É isso mesmo que você está pensando: essa é uma maneira eficiente de aumentar a proteína orgânica, trabalhando na reconstrução muscular depois daquele treino pesado.

Tudo isso sem contar a facilidade em evitar o catabolismo e a síntese de proteínas, como falamos. Tudo que um marombeiro de verdade precisa!

O GH também trabalha diminuindo as gorduras localizadas em algumas regiões do seu corpo, como o abdômen e o tronco.

Está entendendo porque é essencial manter níveis adequados deste hormônio no seu organismo?

Os ácidos graxos são quebrados em unidades menores e, dessa forma, oferecem ao seu corpo a energia que ele precisa para o crescimento.

Com isso, a síntese proteica acaba exigindo muita energia do seu corpo e o GH “direciona” esse gasto para a gordura.

Nada mal, né? Você perde a gordura para que ela trabalhe na reconstrução muscular!

Outra função do GH é o aumento da necessidade de insulina pelo seu organismo.

Como seu corpo acaba metabolizando a gordura como fonte de energia, as suas reservas de glicose acabam ficando intocáveis e duram muito mais tempo.

Isso pode parecer bom, mas é preciso ter cuidado!

Até porque a síntese de glicogênio pode aumentar e, como consequência, o seu corpo precisa produzir insulina em uma quantidade maior, para não comprometer nenhum processo.

HGH e a idade

Os níveis de HGH aumentam muito no período de crescimento – seu corpo está crescendo a todo vapor e precisa disso.

Ele continua a funcionar mesmo quando chegamos à fase adulta, mas, como você deve imaginar, de forma bem mais lenta.

Além disso, não existe uma linha para a secreção do GH, já que diversos fatores podem atuar na sua operação no organismo, como a sua alimentação, a prática de exercícios físicos e até o estresse.

Mas nem tudo está perdido! Existem maneiras naturais e saudáveis de aumentar a secreção desse importante hormônio no seu corpo.

Você vai conhecer alguns deles ao longo deste post.

Não se esqueça: até aqui o que você deve ter em mente é que o GH estimula o crescimento de todos os tecidos orgânicos que podem aumentar de tamanho.

As células podem aumentar de tamanho e de número, com efeitos que podem durar por toda a vida.

Depois da adolescência, no caso dos ossos, eles não aumentarão mais de tamanho — ou comprimento — mas podem ficar mais largos!

Ou seja, o GH é um hormônio que pode alterar seu corpo, trazendo muitas mudanças para quem pratica musculação!

Como acontece a produção e liberação de GH?

O GH é um hormônio que é normalmente liberado durante o sono.

Acredite se quiser, mas você pode apresentar 3 a 4 picos de liberação em cada noite de sono.

Portanto, aquele papo de fazer a criança dormir para que ela cresça mais rápido tem todo o fundamento do mundo, percebe?

Os picos são ainda maiores durante a puberdade e depois passa por uma diminuição normal.

Como já falamos, a secreção do GH acontece na hipófise, mas é regulado por uma região do seu cérebro conhecida como hipotálamo.

Essa região produz hormônios cruciais para o funcionamento normal.

Um deles é o responsável pela liberação do GH, chamado como GHRH.

Além do sono, existem outros fatores que podem influenciar e estimular a liberação do GH. Alguns deles são:

  • Hipoglicemia: como você já viu, ele tem uma relação direta com a insulina. Se seu corpo tem algum tipo de dificuldade nessa área, a produção e liberação do hormônio podem mudar também!
  • Prática de exercícios físicos: a liberação pode ser ainda maior quando o praticante faz treinos intensos e intermitentes.
  • Refeições ricas em proteínas: falando de síntese de proteínas, a dieta com esse componente pode estimular resultados ainda melhores, concorda?
  • Estresse: ele pode afeitar muitas coisas, inclusive a produção hormonal.
  • Outros: nesse caso, consideramos a produção de estrógeno, adrenalina, dopamina como alguns dos exemplos que podem influenciar no GH.

Dentro do seu corpo

Imagine como o seu corpo funciona para suportar todo esse processo.

Existe toda uma reação de cadeia envolvendo esse hormônio, iniciando no hipotálamo.

Quando o fator liberador é solto (o GHRH, que falamos logo ali em cima), estimula a produção desse hormônio de crescimento pela hipófise, que é o responsável pelo início da produção.

Em seguida, ele é secretado na corrente sanguínea, transportando a liberação do fator de crescimento da insulina que acontece no fígado, promovendo, assim o desenvolvimento de ossos e tecidos.

Quando seu corpo percebe o aumento desse hormônio no seu sangue, logo sinaliza para que a hipófise diminua a liberação de GH. É como um pé no freio mesmo!

Entretanto, se esse mecanismo não funcionar e a produção de GH continuar alta, pode acontecer aquele crescimento desordenado dos ossos e órgãos do seu corpo. Assim, você precisa lidar com os desequilíbrios no metabolismo.

Por esse motivo, é muito importante que a somatostatina funcione bem e estabeleça o equilíbrio!

Quais são os principais benefícios do GH?

Falar sobre os benefícios desse hormônio, depois de já termos tratado tudo que ele faz no seu organismo é bem fácil, não é?

  • Redução significativa do percentual de gordura
  • Aumento da massa muscular
  • Fortalecimento dos ossos e articulações, combatendo a osteoporose
  • Pele mais saudável e bonita
  • Melhora seu desempenho sexual e sua forma atlética
  • Seu corpo tem um desempenho melhor na hora de reparar alguma lesão
  • Diminui a pressão arterial

Ou seja, são motivos de sobre para você ter a produção e liberação desse hormônio funcionando direitinho no seu corpo, né?

Assim você garante uma vida muito mais feliz e produtiva!

Mas não se esqueça que esses benefícios são em doses consideradas normais!

Qual é a relação do hormônio do crescimento e o envelhecimento?

Muitas pessoas atribuem ao GH a função de retardar o envelhecimento.

Mas muita calma nessa hora! É necessário compreender como isso acontece, concorda?

Como você já viu, a hipófise libera o GH em grandes picos, que vão diminuindo sistematicamente enquanto você vai envelhecendo.

Quando esse período vai chegando, se você consegue estimular a produção desse hormônio, pode colher alguns benefícios.

Até porque ele é responsável por rejuvenescer as peles, músculos e ossos, além de dar aquele gás no seu sistema imune, prevenir a osteoporose e melhorar o desempenho de órgãos como o coração e os pulmões, por exemplo.

Ou seja: o GH pode ter um papel importante para quem quer se manter jovem por mais tempo.

Para você ter uma noção melhor, um estudo publicado no New England Journal of Medicine, revelou que homens entre 61 e 81 anos, quando tratados com GH, têm uma redução na flacidez a na gordura localizada.

Eles ainda tiveram um aumento de massa muscular, melhor desempenho nos exercícios, além daquela suavizada nas rugas e a recuperação de alguns cabelos no corpo. Muito bom, né?

Mas, ainda assim, muitas vezes é necessário optar pela reposição desse hormônio, que deve acontecer depois de 65 anos.

Assim você colhe os benefícios e ainda pode recuperar a vitalidade em alguns aspectos.

É necessário sempre consultar um médico especializado para analisar os exames e verificar se realmente é necessário essa reposição.

É necessário também, que essa reposição seja feita com acompanhamento para melhores efeitos.

Qual é a relação entre o GH e os exercícios físicos?

Você já ouviu falar que a prática de exercícios físicos pode ajudar no crescimento? Pois bem, agora você vai entender o porquê.

Entretanto, você já sabe que o GH pode potencializar o crescimento dos músculos, tudo que qualquer marombeiro quer, né?

O hormônio é liberado através de picos de tempos em tempos, de maneira irregular.

Mas a sua liberação pode sim ser estimulada pela intensidade do exercício físico.

Essa hipótese foi comprovada por J. Sutton, em 1976, quando o pesquisador encontrou resultados para definir que a intensidade do exercício tem relação com a secreção do GH.

Segundo sua pesquisa, o exercício físico intenso pode aumentar a produção do hormônio.

Depois de malhar pesado, pode ser que ocorra uma diminuição em um primeiro momento, seguida por um aumento na liberação desse hormônio na segunda fase do sono.

Mais um motivo para continuar naquele aparelho difícil!

Existem variáveis que ainda podem influenciar muito no processo.

Algumas delas são o nível de treinamento, a idade dos indivíduos, a composição corporal e o gênero.

Além disso, o aumento das cargas e no número de repetições também pode influenciar na síntese e liberação de ácido lático, estimulando também a liberação de GH.

Para você entender melhor como tudo faz sentido, a liberação menor do GH em homens e mulheres idosos pode se relacionar com a capacidade reduzida que eles têm de fazer atividade física mais intensas.

Com isso, a produção de lactato é menor, promovendo menos estímulos para que a secreção do GH aconteça.

E claro: uma alimentação saudável, atividades físicas e uma boa noite de sono ainda podem ser uma ótima receita para quem quer ter um crescimento saudável!

Por que a produção de GH diminui com o tempo?

A diminuição na produção de GH é uma consequência normal da idade.

Basicamente, seu organismo é programado para entender que, depois da puberdade, você já cresceu tudo que tinha para crescer.

Portanto, a taxa desse hormônio pode diminuir.

Depois dos 30 anos, mais ou menos, a quantidade de GH começa a reduzir a cada dez anos.

Ou seja, é uma queda muito relevante e, por isso, você deve ficar de olhos ainda mais abertos se já passou dos 30!

Além da idade, os maus hábitos podem potencializar ainda mais o processo, fazendo com que ele se desenrole mais rápido.

Se você fuma, é sedentário ou ainda tem uma má qualidade de sono, pode ver os níveis desse hormônio caindo com ainda mais rapidez.

Outro ponto que pode afetar a produção de GH é quando a pessoa é acometida por uma doença que compromete a atividade da glândula, como um tumor na hipófise, por exemplo.

Nesse caso, para resolver todos esses tipos de deficiência que listamos, existe a chance de fazer a reposição hormonal ou estimular de forma natural e saudável.

Como eu aumento meus níveis de GH no sangue de forma natural?

Para manter os níveis de GH do jeito que você quer, altos, você pode optar por medidas naturais.

Você pode melhorar a sua alimentação, dando destaque a alimentos orgânicos e mais saudáveis, ou ainda mais estratégico, consumindo aqueles que ajudam a síntese de proteínas.

Outra maneira muito eficiente de melhorar o nível do GH é uma boa noite de sono!

Se você não tem problema com a liberação ou produção desse hormônio, uma noite de sono relaxado e com 8 horas pode ser o suficiente para que os níveis melhores um pouco.

Tudo isso sem contar com a prática de exercícios físicos que, como você acabou de ver, pode ajudar bastante também!

Essas são as principais maneiras de aumentar a produção desse hormônio de forma eficiente e saudável.

Uma outra forma de favorecer a manutenção de níveis adequados de GH no organismo, é tomar Somatodrol.

Somatodrol possui uma fórmula avançada e ingredientes que favorecem a regulação da atividades hormonal – entre eles, do GH.

Além disso, auxilia na liberação de testosterona, outro hormônio essencial para quem crescer.

Tudo isso sem os efeitos colaterais dos esteroides anabolizantes. Muito bom, né?

Quais são os perigos de usar o GH sintético injetável?

O tratamento com reposição do GH pode acontecer de maneira injetável, mas só em casos de deficiência na produção deste hormônio.

Ele também pode ser recomendado em caso de doenças em que a reposição de GH é relacionado com melhorias no crescimento.

Nesse aspecto, englobam-se as síndromes de Turner (que é a baixa estatura de meninas com problemas de desenvolvimento na puberdade), insuficiência renal crônica em crianças ou adolescentes ou ainda algumas doenças genéticas.

Nesse caso, o tratamento é feito através de injeções diárias, aplicadas sempre que o paciente vai deitar.

Ele acontece debaixo da gordura, podendo ser nas coxas, braços ou abdômen.

Essa medida pode soar muito bom em um primeiro momento, mas o uso de GH injetável pode trazer efeitos colaterais. E não são poucos!

O uso pode causar hipertensão intracraniana benigna, também conhecida como síndrome do pseudo tumor cerebral.

O paciente começa a sentir dor de cabeça, vômitos, alterações visuais e muita agitação.

Também pode acontecer de o paciente desenvolver intolerância à glicose, tendo diabetes, por exemplo.

Outro efeito comum em adultos é a retenção de água, gerando aquele inchaço, dores musculares e nas articulações, além de formigamento nas extremidades do corpo.

Além disso, a cardiomiopatia acontece de vez em quando, que é quando o paciente morre por uso do GH.

Então, nada de arriscar a saúde e sair consumindo esse hormônio sem pensar nas consequências!

Antes de fazer uso de qualquer hormônio dessa forma, é muito importante procurar seu médico e fazer aquela vistoria para ver se está tudo ok.

Saúde em primeiro lugar, sempre!

Contraindicações

O uso do GH não deve ser adotado por pessoas com tumores malignos, pacientes com tumores benignos em crescimento, quem tem diabetes desregulada ou com complicações depois de cirurgia cardíaca, abdominal ou insuficiência respiratória.

Como você pode perceber, não é qualquer pessoa que pode fazer esse tipo de tratamento.

As que podem ainda precisam lidar com os efeitos colaterais.

Portanto, o melhor caminho a se seguir é um tratamento com um viés mais saudável e natural, como citamos em cima.

 

Comentários