prato colorido

Não é ‘papo de mãe’: prato colorido pode fazer a diferença na dieta

Um prato saudável é um prato colorido. De fato, isto é verdade, pois as cores dos alimentos dizem muito sobre eles do que você pensa.

Alguns nutrientes, além dos benefícios que podem proporcionar ao organismo, também são responsáveis por dar diferentes colorações aos alimentos.

Por isso, só pela cor de um alimento, é possível saber da presença de quantidade significativa de determinado nutriente – por exemplo, que um alimento vermelho possui licopeno, um alimento roxo possui antocianinas e os amarelos têm carotenoides.

Logo, quando alguém fala que um prato colorido é mais saudável, isso não é papo durado: de fato, um prato com variedade de cores possui muito mais nutrientes do que um prato “monocromático”.

Consumir os mesmo alimentos e/ou alimentos com os mesmo nutrientes pode provocar a deficiência de algumas substâncias importantes para a saúde e o desenvolvimento físico.

Uma alimentação variada em nutrientes é essencial para atender às suas necessidades nutricionais e manter uma vida mais saudável. Logo, montar um prato colorido na hora de se alimentar não é só “papo de mãe/pai/vó”. 

Quer entender como as cores dos alimentos influenciam nos benefícios à saúde e como isso pode te ajudar a viver melhor e ter mais ganhos na academia? Se liga:

Não é ‘papo de mãe’: prato colorido pode fazer a diferença na dieta

Vermelho

Tomates

Os alimentos naturais com coloração vermelha são coloridos por um pigmento natural da planta chamado licopeno.

O licopeno é um poderoso antioxidante, que neutraliza os radicais livres, reduzindo o risco de câncer e ajuda a manter o coração saudável.

Além disso, as frutas e os vegetais vermelhos são ricos em flavonoides, que ajudam a reduzir a inflamação e também têm propriedades antioxidantes.

Os antioxidantes previnem o envelhecimento precoce, o risco de doenças cardiovasculares e até o câncer.

É fundamental para a saúde e para quem treina é ainda mais importante, porque durante atividade física intensa há um aumento da produção de radicais livres que podem até atrapalhar o rendimento físico.

Exemplos: tomate, melancia, goiaba, framboesa, cereja e morango.

Laranja ou amarelo

Talvez seja o nutriente mais conhecido por todos – carotenóides. Eles que são os grandes responsáveis pelas cores do grupo.

O betacaroteno é um carotenóide e quando ingerido, é convertido em vitamina A.

Esta vitamina é importante para manter as membranas mucosas e os olhos saudáveis, principalmente.

A luteína, outro carotenóide, também é armazenado no olho e ajuda a prevenir a catarata e degeneração macular, que pode levar à cegueira.

Este nutriente também possui outras funções, como ação antioxidante.

Exemplos: abóbora, cenoura, laranja, mamão, manga, maracujá, carambola e melão.

Estes alimentos também são ricos em vitamina C, geralmente.

Verde

vegetais rúcula

As frutas/frutos e vegetais com coração verde contêm uma grande variedade de fitoquímicos, incluindo carotenóides, indóis e saponinas.

Estes fitoquímicos apresentam diversas propriedades ao organismo, dentre elas a ação antioxidante a prevenção de câncer e outras doenças.

Os vegetais verdes ainda são excelentes fontes de vitaminas e minerais, como vitamina K, ácido fólico e potássio.

Os vegetais verdes, geralmente, também possuem uma menor quantidade de calorias, sendo um bom aliado para quem deseja perder peso.

Exemplos: espinafre, brócolis, rúcula, alface, couve, manjericão, abacate, maçã verde, kiwi e limão.

Roxo e Azul

Berinjela

As antocianinas são pigmentos responsáveis por uma variedades de cores das frutas e folhas, que variam do vermelho ao azul.

Ele pode estar presente nos alimentos vermelhos, principalmente, os vermelhos bem fortes. Mas, é o principal pigmento que dá as cores azul e roxo às frutas e aos vegetais.

Como mencionado acima, a antocianina possui propriedades antioxidantes que protegem as células dos radicais livres.

Com isso, previne o aparecimento e surgimento de diversas doenças, bem como colabora para um organismo mais saudável e equilibrado.

Exemplos: berinjela (principalmente a casca), mirtilos, amoras e ameixas.

Branco

Frutas e vegetais brancos, ao contrário do que muitos pensam, contêm uma variedade de fitoquímicos.

A alicina, por exemplo, encontrado no alho, é reconhecida por suas propriedades antivirais e antibacterianas. Além disso, pode ajudar no controle da pressão arterial.

A couve-flor apresenta propriedades antialérgicas e a cebola apresenta propriedades antioxidantes e ajuda a reduzir os níveis de colesterol.

Exemplos: nabo, alho, cebola, batata, banana, mandioca, cará, coco, inhame e couve flor.

Marrom

músculos - amendoas

Esse grupo inclui as oleaginosas e os cereais integrais. A oleaginosas, apesar de possuírem um elevado teor calórico, são excelente fonte de gorduras boas.

Já os cereais integrais são ótimas fontes de carboidratos complexos, que levam mais tempo para serem transformados em açúcar pelo nosso organismo, prevenindo o acúmulo de gordura corporal e aumentam a saciedade.

Exemplos: aveia, arroz integral, amêndoas e nozes.

Quanto mais variado e colorido for sua refeição, maior será a ingestão de nutrientes!

Concluindo

Bom, depois de muitos carotenoides e licopenos, você já deve ter entendido o recado, não é mesmo?

Varie a cor do seu prato! Capriche no verde, no marrom, amarelo. Não tenha medo, não, pois tudo lhe fará bem!

Mande ver na dieta e bora treinar!

LEIA MAIS: 10 alimentos que você pode estar comendo da maneira errada
LEIA MAIS: 5 receitas fit e rápidas para você incluir no cardápio de sua dieta

 

Comentários