efeitos do alcool - six pack

Efeitos do álcool: como a bebida pode influenciar nos seus ganhos

Você não precisa parar de beber, mas saber os efeitos do álcool no corpo de quem treina pode te ajudar a entender porque “moderação” é a palavra-chave

É comum ver pessoas que seguem uma dieta rigorosa a semana toda, treinam direitinho de segunda à sexta, e depois enfiam o pé na jaca no final de semana. É evidente que isso vai arruinar seus ganhos. Mas e as bebidas alcoólicas? Será que tomar umas no fim de semana pode por tudo que você conquistou na semana a perder?

A gente já mostrou em outro post aqui do Feito de Iridium que o consumo moderado de álcool por pessoas fisicamente ativas têm até alguns benefícios. Só que isso não significa que as bebidas alcoólicas não vão arruinar seus resultados se consumidas em excesso. Porque vão, sim!

As bebidas alcoólicas não têm nenhum valor nutricional – elas possuem apenas calorias! Ou seja, além das calorias, as bebidas alcoólicas não acrescentam absolutamente nada na sua dieta.

Este é o primeiro malefício que o consumo de bebida alcoólica traz para quem treina. Mas existem vários outros. 

A ideia aqui não é fazer ninguém parar de beber – a gente sabe que tomar umas tem lá sua função social, é divertido e ajuda a “desestressar”.  O ponto é que é importante saber também os problemas que isso causa.

Assim, fica fácil entender o quanto é importante moderar no consumo, e o quanto os excessos podem estragar tudo que você batalhou para conquistar.

Quer saber mais sobre os efeitos do álcool no organismo de quem treina? Então se liga:

Efeitos do álcool: como a bebida pode influenciar nos seus ganhos

efeitos do alcool

Ganho de peso corporal

Para se ter uma ideia, cada grama de álcool puro possui 7 calorias – muito mais do que o carboidrato e proteína, que contém 4 calorias por grama.

Além das calorias do álcool, os outros ingredientes também contém muitas calorias, transformando as bebidas alcoólicas em verdadeiras bombas calóricas. Também é importante lembrar que o consumo de bebidas alcoólicas quase sempre vem acompanhado daquele petisco frito ou outros alimentos ricos em gorduras ruins, né?! 

Se este fosse o único prejuízo que as bebidas alcoólicas causam até que não seria tão ruim, pois é possível controlar a dieta de forma que esse ganho calórico não impacte nos seus resultados. Só que infelizmente tem muito mais.

Desidratação

Há quem diga que isso não se aplica à cerveja, pois a bebida é diurética. Não é verdade! Mesmo sendo composta por 95% de água, a cerveja também pode causar desidratação, sim.

O álcool, mesmo em menor quantidade, inibe o hormônio antidiurético, ou seja, você vai ao banheiro mais vezes e é justamente isso que vai levar à eliminação de líquidos e à desidratação e, consequentemente, a um aumento na concentração de toxinas no sangue.

Além disso, o álcool ainda atua como vasodilatador, que aumenta a perda de fluidos e agrava ainda mais o estado de desidratação. O pior de tudo é que esta desidratação causada pelo álcool pode durar um dia inteiro ou até mais.

A desidratação, além de reduzir o desempenho físico, prejudica a síntese proteica e o anabolismo muscular, pois músculos desidratados são ambiente favorável ao catabolismo.

Uma dica é beber bastante água tanto durante quanto depois da bebedeira. Não resolve o problema, claro… mas ajuda.

efeitos do alcool cansaço ressaca

Hipoglicemia

A atividade física já diminui a glicose no organismo, pois ela é usada como fonte de energia. O álcool vai lá e piora a situação, pois aumenta a liberação de insulina pelo pâncreas e ainda prejudica a gliconeogênese hepática – e consequentemente a produção de glicose.

Essa redução drástica no nível de glicose no sangue pode fazer com que seu organismo passe a utilizar a proteína como fonte de energia. Resultado? Já sabe, né? Ganhos comprometidos.

Musculoesquelético

O álcool inibe os canais iônicos de Cálcio, interferindo no metabolismo deste mineral, que participa de diversas funções funções essenciais para quem treina, como a contração muscular. Assim, o álcool pode diminuir a contração e a força musculares, comprometendo todo o seu treino.

Também pode interferir na integridade do sarcolema, promovendo aumento dos níveis plasmáticos da enzima intramuscular creatina quinase (CK), que é utilizada como medida da lesão muscular. Traduzindo: o consumo de álcool pode provocar ou aumentar o risco de lesão muscular.

Por fim, a ingestão de álcool pode ter efeito prejudicial sobre a sinalização celular e a síntese de proteínas musculoesqueléticas, prejudicando fortemente o crescimento muscular.

Um estudo realizado em 2014, concluiu que a ingestão de álcool suprime a resposta anabólica no músculo esquelético, portanto, prejudica a recuperação e adaptação ao treinamento e também o desempenho físico.

Ressaca

A ressaca é caracterizada pelo conjunto de sintomas da intoxicação causada pelo álcool. Isso acontece porque o organismo tem que trabalhar muito mais para absorver e metabolizar altas quantidades de álcool e acaba sobrecarregando todos os órgãos envolvidos no processo.

O órgão mais afetado é o fígado, pois é dele o trabalho principal de produzir as enzimas que absorvem o álcool e, mesmo quando a pessoa para de beber, a concentração dessas enzimas ainda permanece alta, o que gera um desequilíbrio de todo o metabolismo.

O resultado geral é dor de cabeça, desidratação, enjoo, diarreia e extremo cansaço. Sintomas que todo mundo que já bebeu além da conta conhece bem.

Para quem treina, isso é ainda pior. Se beber demais, você com certeza vai sofrer os efeitos da ressaca, não vai se alimentar direito e nem ter forças para treinar.

Outros efeitos negativos

Pensa que acabou? Nope. Tem muito mais – e nós separamos só alguns:

  • Prejudica a absorção de nutrientes importantes para a saúde e o desempenho físico;
  • Eleva os níveis de cortisol (hormônio do catabolismo), podendo reduzir massa muscular;
  • Diminui os níveis de testosterona, prejudicando o processo de ganho de massa muscular;
  • Causa deficiência de vitaminas fundamentais para quem quer aumentar massa muscular, como as vitaminas do complexo B.

É claro que este efeito varia de acordo com a quantidade de etanol ingerida. Não esqueça que, apesar do álcool ser absorvido na primeira hora após ser consumido, sua eliminação pode demorar de 6 a 10 horas.

Se você se dedica de verdade aos treinos e à alimentação, controle com rigor o consumo de álcool, ou seus resultados serão comprometidos.

Não existe um nível aceitável e seguro para o consumo de álcool e apenas umas dose de vodka ou uma lata de cerveja pode fazer diferença nos seus ganhos. Então, se não dá para parar de beber, pelo menos beba com muita moderação.

Outra dica importante, além da água, como citamos acima, é tomar um shake proteico antes de dormir (depois de beber) para minimizar o estado catabólico do organismo.

Como falamos, você não precisa parar de beber para ter bons resultados na academia. Mas, se não se controlar, o único “6-pack” no abdômen que você vai conseguir é um desse igual da foto. 😮

Comentários