efedrina

Efedrina: tudo sobre os efeitos do uso dessa substância como termogênico

Muitos praticantes de musculação que querem definir o corpo, dar um ‘pump’ nos treinos costumam usar a Efedrina para melhorar os resultados, o problema é que os ganhos podem vir com graves consequências.

A busca por melhores resultados, mais rápidos e expressivos é extremamente grande – e pode ser perigosa. E não são só os esteroides anabolizantes que servem de atalhos perigosos: a efedrina é um deles.

Este composto químico é muito utilizado por praticantes de musculação como um termogênico a fim de reduzirem a gordura corporal.

Você obterá ganhos a utilizando, o problema é que o preço a se pagar é alto: esses ganhos vêm acompanhado de diversos problemas graves que podem fazer muito mal à saúde. Pode até ser fatal.

Explicando rapidamente sobre a origem da Efedrina, ela é encontrada em plantas do gênero Ephedra, localizada em regiões da Ásia, África e Europa.

É utilizada para fins farmacêuticos e sua relação com a queima de gordura é baseada em uma suposta estimulação de determinados receptores localizados no fígado e em adipócitos.

Mas não é bem assim que as coisas funcionam…

Se liga!

Efedrina: tudo sobre os efeitos do uso dessa substância como termogênico

Efedrina 3

O que é a Efedrina

A Efedrina é uma substância vasopressora, isto é, que contrai os vasos sanguíneos fazendo a pressão arterial subir, além de aumentar a quantidade de sangue que chega ao coração.

Ela é utilizada muito em casos de hipotensão, ou seja, pressão baixa, mas também em casos de “tratamento de choque”, quando há uma queda abrupta e grave na pressão arterial.

Além disso, como dissemos no começo, é utilizada em tratamentos de asma, resfriado e congestão nasal, mas também em casos da Síndrome de Stokes-Adams, onde a pessoa sofre de convulsões seguidas de uma arritmia cardíaca.

Também era utilizada em métodos antidepressivos, além de ser um estimulante para o Sistema Nervoso Central em casos de narcolepsia.

Como você pode ver, a Efedrina sempre teve um fim terapêutico/farmacêutico.

A Efedrina e a Musculação

Muitos praticantes de musculação, desesperados por obter bons resultados em seu treino, passaram a utilizar a efedrina – ou produtos à base dela -, em busca de definição.

Em teoria, os ganhos relacionados ao uso da Efedrina como termogênico acontecem por conta dela elevar consideravelmente a pressão e circulação sanguínea. Além disso, ocasiona a contração dos vasos sanguíneos.

Assim, o organismo entende que há um perigo por perto e eleva a produção de adrenalina. Este processo acarreta no aumento do metabolismo, que fica acelerado.

Deste modo, a Efedrina eleva a temperatura corporal interna, e como os vasos estão contraídos, é necessária mais energia para bombeamento do sangue.

O problema é que esses efeitos da Efedrina são benéficos para situações específicas. Uma pessoa saudável pode, por exemplo, apresentar uma pressão arterial muito alta após o consumo da efedrina, bem como outros efeitos colaterais graves.

Além disso, quando utilizada com o propósito de emagrecer – sem controle ou indicação médica -, há um consumo exagerado da substância, intensificando seus efeitos colaterais.

Perigos da Efedrina

Ataque cardíaco

Sabemos que existem os teimosos, que ignoram os conselhos e falam que isso é “invenção” e afins.

Pois bem, agora você saberá alguns riscos que a efedrina traz ao seu organismo enquanto você faz uso dela.

Lembramos novamente que ela não é uma substância para fins emagrecedores. É terapêutico. Foi por conta de seus efeitos colaterais que as pessoas começaram a utilizá-la para obter ganhos físicos.

Os perigos da Efedrina acabam se manifestando por meio da estimulação de adrenalina, além de efeitos colaterais como: cefaleia, ansiedade, insônia, náuseas, vômitos, sudorese, sede, palpitações, tremores e fraqueza muscular, psicose e até crises convulsivas.

Além disso, produtos que tinham efedrina em sua composição, foram relacionados à ocorrências de infarto do miocárdio, arritmia cardíaca, hepatite, hipertensão grave, AVC.

Vale à pena passar por alguma dessas situações somente para emagrecer ou “ficar bonito”? Aqui no Feito de Iridium já demos algumas dicas de como fazer isso de uma maneira saudável.

Proibição no Brasil

Efedrina

Desde 2003, suplementos alimentares que contenham efedrina em sua formulação são proibidos no Brasil.

Entretanto, em se tratando de medicamentos, a venda é permitida, porém com um controle (que deveria ser) rigoroso.

Mesmo assim, a venda ilegal de produtos com Efedrina acontece livremente no Brasil, basicamente por conta da falta de fiscalização, colocando muitas vidas em risco.

Ocorrência com atleta de MMA

MMA, lutador

Em 2006, um lutador de MMA de 28 anos, que utilizava de um suplemento dietético que continha efedrina, sofreu um infarto do miocárdio em decorrência do uso.

De acordo com o estudo sobre o caso do atleta, ele chegou a perder 12 kg em 20 dias fazendo o uso da substância.

Entretanto, ele contou que sentia palpitações, tremores e insônia causadas pelo produto. Como tinha uma luta próxima, aumentou a dose e começou a fazer uso de 4 comprimidos por dia.

Foi aí que os problemas aumentaram e ele começou a sentir dores na região torácica, que foram aumentando até o pior (quase) acontecer.

Conclusão

Efedrina faz mal. Não é certo que ela realmente contribui para o emagrecimento, embora no relato o atleta diga que conseguiu perder peso.

Em contrapartida, mesmo que ajude a emagrecer, uma coisa é certa: ela causa insônia, palpitações, pode causar AVC ou infarto, entre vários outros problemas.

Você pode alcançar bons resultados sem precisar arriscar sua vida para isso. Tenha consciência. O que mais vale: um shape perfeito ou sua vida?

LEIA MAIS: Cafeína: tudo o que você precisa saber sobre seu efeito termogênico
LEIA MAIS: Termogênico ou pré-treino: em qual vale mais a pena investir?
LEIA MAIS: Os 13 melhores alimentos termogênicos para incluir no seu cardápio 

REFERÊNCIAS

JOSEFSON, D. Herbal stimulant causes U.S deaths. BMJ, v.312; p.1378-1379, 1996. (link)

HALLER, C.A.; JACOB, P.; BENOWITZ, N.L. Enhanced stimulant and metabolic effects of combined ephedrine and caffeine. Clinical Pharmacology and Therapeutics, v. 75, p. 259-273, 2004. (link)

BRAGA, R.M; Avaliação dos Suplementos Termogênicos mais Comercializados na Cidade de João pessoa – Uma Abordagem Farmacológica e Social; 2014 (link)

Comentários