chá verde

Chá verde: como ele pode se tornar seu aliado no pré-treino

O chá verde tem propriedades bem similares ao da cafeína, e por isso está presente na rotina de muita gente que busca melhores resultados na academia. Saiba mais!

Você já deve ter visto que o chá verde é um forte ingrediente presente em muitos suplementos que ajudam na redução de gordura corporal. 

Além de ser um aliado na queima de gorduras, ele é uma poderosa arma para o desenvolvimento muscular e é grande fonte de energia.

De uns tempos para cá, se tornou uma das bebidas mais consumidas entre a galera fitness justamente devido a sensação de bem-estar, e pelos seus supostos benefícios à saúde.

E se você tem curiosidade em saber mais sobre todas as melhorias que o chá verde pode oferecer ao seu corpo, e ver se vale a pena adicioná-lo em sua rotina – ou até tentar suplementos à base de chá verde – confira todos os benefícios! 

Chá verde: como ele pode se tornar seu aliado no pré-treino

chá verde 2

O que é o chá verde?

Os chás verdes, pretos, brancos e oolong (chá chinês oriental) são derivados das folhas da planta de Camellia sinensis. A diferença entre eles é como as folhas são processadas.

O chá verde é menos oxidado e contém mais catequinas – antioxidantes naturais – do que o chá preto ou oolong. E a maioria de suas folhas passam por tratamento térmico após a colheita, geralmente através de um processo de cozedura ou frigideira, resultando em um sabor mais suave e um menor teor de cafeína.

Benefícios do chá verde

O chá verde proporciona diversos efeitos positivos à saúde, além de te oferecer mais energia, promove a saúde gastrointestinal.

Também é usado principalmente como um estimulante, embora tenha demonstrado ter propriedades antioxidantes, diuréticas e de queima de gordura corporal – o que o torna um ótimo aliado de quem treina e precisa queimar calorias. 

Isso levou ao desenvolvimento de uma variedade de suplementos e extratos a base de chá verde, desde bebidas energéticas até vitaminas mastigáveis.

O método mais popular de consumo, no entanto, ainda é como uma bebida quente ou fria.

chá verde 3

Perda de peso

Um dos benefícios promovidos pelo chá verde é a oxidação da gordura aumentada, o que leva a uma redução da gordura e do peso corporal.

No entanto, este efeito é mais visível em pessoas que não usam cafeína com tanta frequência.

Este estudo¹ definiu consumidores frequentes de cafeína como aqueles que consomem mais de 300 miligramas por dia.

Enquanto o seu consumo de cafeína for inferior a esta quantidade, você poderá ver alguns benefícios adicionais de perda de peso através do chá verde.

É claro que o consumo do extrato de chá verde com cafeína, como em muitos suplementos, pode aumentar ainda mais o efeito termogênico, a taxa metabólica, e a queima de gordura.

Além disso, ele também apresenta propriedades diuréticas, auxiliando na redução do inchaço.

Exercício físico

Esse chá ainda é um potente antioxidante, e há algumas pesquisas que indicam que pode reduzir o dano muscular que ocorre com o exercício intenso e melhorar a recuperação.

Um estudo descobriu que quatro semanas de suplementação com extrato de chá verde elevou os níveis de antioxidantes após exercício físico intenso.²

Por conter a cafeína, o consumo de chá verde pode também auxiliar no aumento de disposição e energia, e melhorar o desempenho físico.

chá verde 4

Saúde

O consumo de chá verde é conhecido por estar associado a uma saúde cardiovascular e metabólica melhorada.

E o extrato do mesmo influencia favoravelmente a pressão arterial, resistência à insulina, inflamação e perfil lipídico, prevenindo diabetes, colesterol alto, AVC e outras doenças cardiovasculares.³

De forma geral,  consumo dele foi associado com a melhora de marcadores de saúde geral.

Efeitos colaterais

Em geral, ele é muito bem tolerado pela maioria das pessoas com pouco ou nenhum efeito colateral em doses normais, sendo que a maioria dos sacos de chá verde contém cerca de 1 a 2 gramas de folhas reais.

Se estiver consumindo-o pela primeira vez, pode começar com uma dose mais baixa e aumentá-la ao longo do tempo, pois é um estimulante cafeinado e se você tiver uma baixa tolerância à cafeína, pode afetar seu sono.

Outro efeito colateral é que o chá verde pode dificultar a digestão e absorção de alguns nutrientes, pois inibe algumas das enzimas associadas à digestão.

Um estudo mostrou, por exemplo, que o consumo de polifenóis do chá resultou em uma redução de 61% na atividade da amilase, uma das principais enzimas responsáveis pela digestão de carboidratos e redução de 32% na atividade da pepsina, uma enzima que quebra proteínas.4

No entanto, isso pode ser resolvido facilmente se o chá for consumido em horários diferentes das principais refeições.

O chá verde também pode diminuir a absorção de ferro no corpo.5 Porém, esse efeito parece diminuir se o mesmo for consumido com vitamina C.

Como consumir?

Tradicionalmente, as folhas de chá verde são misturadas em água quente. Hoje em dia, muitos dos ingredientes benéficos do chá verde estão disponíveis como suplementos individuais, bem como em extratos da folha.

Além disso, é possível encontrar o chá engarrafado.

LEIA MAIS: 6 alimentos anti-inflamatórios que devem fazer parte da sua alimentação
LEIA MAIS: Cafeína: tudo o que você precisa saber sobre seu efeito termogênico
LEIA MAIS: Chá para insônia: 6 tipos de chá para melhorar a qualidade do seu sono

1 WESTERTERP-PLANTENGA, M. S., et al. Perda de peso corporal e manutenção de peso em relação à ingestão habitual de cafeína e suplementação de chá verde. Obesity, v. 13, n. 7, Jul. 2005. (LINK)
2 JÓWKO, E. Green tea extract supplementation gives protection against exercise-induced oxidative damage in healthy men. Nutrition Research, v. 31, n. 11, Nov. 2011 (LINK)
3 BOGDANSKI, P. et al. Green tea extract reduces blood pressure, inflammatory biomarkers, and oxidative stress and improves parameters associated with insulin resistance in obese, hypertensive patients. Nutrition Research, v. 32, n. 6, Jun. 2012. (LINK)
4 HE, Q.; YUANPING, L. V.; YAO, K. Effects of tea polyphenols on the activities of α-amylase, pepsin, trypsin and lipase. Food Chemistry, v. 101, n. 3, 2007.  (LINK)
5 QIANYI, M. Bioactive Dietary Polyphenols Inhibit Heme Iron Absorption in a Dose-Dependent Manner in Human Intestinal Caco-2 Cells. Food Science, v. 76, n. 5, Jun./Jul. 2011. (LINK)

Comentários