whey protein ou hipercalórico

Caseína ou whey protein? Como escolher?

Poucos sabem como definir o melhor momento para consumir caseína ou whey protein, e qual é melhor para cada situação. Resolva este problema!

Caseína ou whey protein?

Os suplementos feitos a partir do leite de vaca são utilizados por muitos marombeiros em busca do corpo ideal. Entretanto, poucos sabem como definir o melhor momento para consumo de cada um deles.

Proteínas não são armazenadas no corpo humano da mesma forma que a gordura ou a glicose. Em vez de ir para células localizadas em partes específicas do corpo, a proteína é utilizada na manutenção da massa muscular.

Como a maioria dos atletas e frequentadores de academia precisa de músculos bem preparados para enfrentar o dia a dia, recomenda-se que eles façam o consumo de 1g à 1,5g de proteína diariamente para cada quilo de peso corporal.

É claro que isso depende da intensidade da atividade e outras individualidades, mas é um valor médio que pode ser usado como referência.

Diante disso, marombeiros fazem uso de suplementos corporais como caseína ou whey protein. Apesar da origem em comum, esses alimentos possuem efeitos diferentes no corpo humano.

Ambos auxiliam o nosso organismo a aumentar e a manter o ganho muscular pós-treino, e juntas podem colaborar ainda mais nestas funções.

Saiba mais sobre eles e veja como escolher entre caseína ou whey protein:

O que é a caseína

Assim como whey, a caseína é uma proteína encontrada no leite de mamíferos.

A função da caseína, que é uma proteína conjugada (composta por aminoácidos e um grupo químico sem proteínas em sua cadeia), no leite, é manter unidas todas as moléculas de água e gordura.

Assim, ela agirá como um emulsificante. Por possuir uma grande quantidade de aminoácidos essenciais, a caseína é considerada uma das proteínas mais nutritivas que pode ser ingerida pelo corpo humano.

Quando usar a caseína

O melhor horário para ingerir a caseína é antes e após dormir. Por ser uma proteína de longa absorção, ela é capaz de impedir o catabolismo, um processo que ocorre em longos períodos de jejum.

Assim, ela é capaz de auxiliar o corpo a manter o ganho de massa muscular pós-treino com mais facilidade.

Quando ficamos muitas horas sem ingerir algum tipo de alimento, o nosso corpo entra em um processo chamado catabolismo.

Na falta de carboidratos e gorduras livres, o nosso organismo busca nas proteínas a energia necessária para manter todos os órgãos funcionando.

Elas passam a ser degradadas e são reduzidas a tamanhos menores. Isso garante ao corpo humano ganha uma fonte adicional de energia até a próxima refeição.

Esse é um dos principais motivos para a caseína ser indicada para consumo antes de dormirmos.

A sua digestão pelo organismo demora mais do que o dobro quando comparamos com o tempo necessário para a síntese proteica e a absorção dos aminoácidos após consumirmos whey protein.

Se a proteína que usamos após o treino fica ativa por até 3 horas, a caseína pode agir por até sete horas.

Principais benefícios e efeitos da caseína

Considerada uma das proteínas mais excitantes para o corpo humano (a proporção entre Tirosina e Triptofano é de quase 5:1), a caseína possui diversos benefícios.

O seu teor de glutamina, por exemplo, gira em torno de 20,5%. Por ser uma concentração maior do que a do whey, da soja ou do ovo, a glutamina auxilia melhor o músculo do atleta durante dietas e ciclos de treinamento intenso.

A caseína aumenta a capacidade do intestino de absorver aminoácidos, peptídeos e outras proteínas.

A caseína possui uma grande quantidade de aminoácidos glucogênicos como treonina, glutamina e arginina. Eles são utilizados para a produção de glicose e energia durante a prática de exercícios.

Além isso, eles também melhoram o efeito anticatabólico no músculo.

Assim como qualquer outra proteína, o consumo excessivo de caseína leva a sérios problemas renais. Idosos, crianças, gestantes e lactantes devem evitar o consumo desse suplemento sem a orientação prévia de um médico.

O mesmo vale para pessoas que possuem intolerância à lactose, já que a caseína é feita a partir do leite de vaca.

Como ingerir a caseína

Como já falamos, a caseína deve ser consumida, principalmente, antes de dormir e após acordar.

Quando levamos em consideração que ela gasta de 7 a 8 horas, sempre que o atleta precisar ficar por longos períodos sem se alimentar e desejar manter o estado anabólico ativo, ela também deve ser ingerida.

Além disso, na ausência de whey protein, a caseína micelar também pode ser tomada após um treino. Vale lembrar que algumas marcas adicionam proteínas como whey e a da clara do ovo (albumina) em sua composição.

A quantidade a ser tomada vai variar de atleta para atleta. O ideal é que um nutricionista seja consultado. Ele saberá informar a melhor quantidade de proteína que o seu corpo necessitará para manter o ganho muscular.

Fontes alternativas de caseína

Sempre que for consumir qualquer tipo de suplemento, é importante procurar um nutricionista. Ele saberá fazer a análise completa de qual material é indicado para suplementar a sua alimentação.

Normalmente, proteínas são encontradas no leite e seus derivados, como o queijo e o iogurte. Além disso, claras cozidas, peixes como atum e tilápia, peito de frango e ricota são outras fontes naturais de proteínas.

Esses alimentos podem ser utilizados no preparo de pequenos lanches e diminuem a necessidade de suplementos. Já alguns marombeiros, que não podem ingerir a caseína, optam pela proteína isolada de soja, que possui valores nutricionais semelhantes.

O que é o whey protein

O whey protein é uma proteína feita a partir do soro do leite. Ela é extraída durante o processo de transformação do leite em queijo.

Como ela possui um alto valor biológico e é absorvida rapidamente pelo corpo humano, a sua ingestão deve ser feita principalmente antes e após um treino.

O whey também possui uma grande concentração de Glutamina e BCAA e, quando comparo com outras fontes de proteína, ele consegue fornecer mais aminoácidos essenciais sem a adição de colesterol e gordura.

Tipos de whey protein

Existem três tipos de whey protein disponíveis no mercado. Eles são vendidos separadamente ou misturados e possuem como principal diferença a sua pureza e o método de processamento.

Por meio de processos de microfiltragem e ultrafiltração através de precipitação de ácidos ou bases, troca iônica ou separação por membranas, as proteínas são concentradas e três tipos de whey são gerados:

Whey protein concentrado

Normalmente a versão mais barata, é feita a partir de um processo de filtragem mais simples. O produto final tem até 89% de proteínas, sendo o restante composto por carboidratos e gorduras.

Whey protein isolado

Essa versão possui uma concentração maior de proteínas quando em comparação com o whey concentrado e, naturalmente, é mais cara.

Whey protein hidrolisado

Esse tipo de whey passa por um processo de filtragem minucioso. Além disso, graças ao processo de hidrólise, as cadeias proteicas são quebradas em fragmentos menores e sintetizadas mais rapidamente.

Se você quer conhecer um pouco mais sobre esses três tipos de whey protein, leia o nosso texto sobre o assunto e mantenha-se informado!

Principais benefícios e efeitos do whey protein

O whey protein, quando ingerido corretamente, pode proporcionar diversos benefícios no nosso corpo. Contribui para o crescimento muscular e também possui ação antioxidante.

No corpo humano, o whey também contribui para o fortalecimento do sistema imunológico e a diminuição dos sintomas de overtraining.

A alta rápida absorção do whey faz dele um produto indispensável para quem procura uma maior hipertrofia muscular. Logo após o treino, o corpo passa por uma “janela de oportunidades” onde o músculo está mais sensível a ação de nutrientes diversos. Isso criar um ambiente anabólico perfeito para a síntese proteica e o ganho de massa muscular.

Como o whey protein deve ser ingerido

No geral, a maioria das pessoas fará um melhor uso do whey protein ingerindo-o antes e após um treino de musculação.

O whey é uma das proteínas com absorção mais rápida disponível para consumo humano. Em função disso, muitas pessoas o consideram uma ótima ferramenta de apoio para quem procura ganhar músculos e perder gordura.

Para a hipertrofia ser potencializada, ele pode ser ingerido junto com a dextrose. O carboidrato melhora o transporte de nutrientes como proteínas, creatina, BCAAs e glutamina para o interior das células.

Quando for preparar o seu shake, misture entre 30 e 40 gramas de whey protein com maltodextrina/dextrose para cada 200ml de água. Assim, o tempo necessário para atingir o corpo ideal será muito menor.

Afinal, qual escolher: caseína ou whey protein?

A caseína e o whey protein são dois suplementos tradicionais nas academias. Apesar de empenharem funções diferentes no nosso corpo, eles podem ser utilizados separadamente ou combinados para atingir diferentes objetivos.

Para quem procura apenas um suporte durante os longos períodos de jejum, a caseína é a proteína mais indicada. Ela manterá o corpo “energizado” por longos períodos e impedirá que o corpo entre no processo de catabolismo.

Já o whey protein, que é vendido com diversos graus de pureza, possui aplicações diversificadas. A ingestão da whey protein concentrado é mais indicada para quem procura, entre outras coisas, uma maior proteção imunológica.

Esse tipo de proteína possui uma grande quantidade de BCCAs, antioxidantes e glutaminas, que melhoram o funcionamento do nosso organismo.

O whey protein isolado é ideal para quem não quer ganhar peso. Graças ao seu alto grau de pureza, ele normalmente é encontrado em porções com 0% de gordura.

Por outro lado, o whey hidrolisado é que deve ser consumido por quem faz treinos de grande intensidade. Os pequenos fragmentos desse tipo de proteína são absorvidos rapidamente pelo corpo humano e sintetizado em poucos minutos.

Se você está em dúvida entre a caseína ou whey protein, não tenha medo: escolha os dois. Ao misturar a caseína com o whey durante o decorrer do dia, você pode aproveitar os benefícios de ambos os suplementos

Caseína e whey protein: as ferramentas para um corpo trincado

A vida de quem procura um corpo forte e saudável não é simples. A rotina de um marombeiro vai além de longos treinos.

Um bom cuidado com as horas de sono, as bebidas ingeridas e o alimento consumido são apenas alguns detalhes do dia a dia de um atleta.

Entre os diversos suplementos disponíveis, muitas pessoas ficam confusas entre quais os melhores momentos para consumo.

Os principais suplementos utilizados pelos frequentadores de academias são feitos a base de proteína. Ela é indispensável para a construção, reparação e tonificação dos músculos.

Tudo isso enquanto auxilia na diminuição dos níveis de gordura do corpo humano. Apesar de possuirmos muitas fontes proteicas naturais, nem sempre é possível obter a quantidade necessária para a potencialização dos ganhos após o treino apenas por meio de alimentos como peixes e laticínios.

Quando levamos em consideração as proteínas que são feitas a partir do leite da vaca, a caseína e o whey protein estão entre as mais populares.

Juntas, elas podem melhorar o ganho de massa muscular de um atleta e garantir um melhor resultado para a sua rotina diária de treinos.

A caseína atuará mantendo o fornecimento de proteínas por longos períodos, já o whey atuará rapidamente nos músculos, repondo a necessidade de proteína após momentos de estresse.

Enquanto a primeira proteína pode levar de 3 horas a 4 horas para atingir o seu nível de pico, a segunda pode chegar em seu níveis de pico em apenas 40 minutos.

Para quem procura tirar o máximo de aproveitamento dos treinos, outros passos são indispensáveis: treinar regularmente, ter uma dieta adequada, manter bons horários de sono, evitar o consumo de anabolizantes e uma rotina com níveis de estresse reduzidos irão te ajudar a ter o corpo desejado no menor tempo possível.

Dessa forma, os seus treinos terão resultados cada vez melhores. E você, quer ficar por dentro das melhores dicas para marombeiros? Curta a nossa página do Facebook!

Comentários