Adrenalina e endorfina: conheça os hormônios do esporte

Todo mundo já ouviu falar nos hormônios chamados adrenalina e endorfina, mas poucos sabem o que eles realmente fazem no organismo; descubra

Quando você exercita seu corpo, muitas substâncias são liberadas no seu organismo sem que você tome consciência – entre elas estão a adrenalina e a endorfina, dois hormônios importantíssimos para a saúde.

Neste post, você vai entender o que são e como estes hormônios podem afetar sua percepção da atividade física. Confira!

Adrenalina: esforço, atenção e stress

O hormônio adrenalina (ou noradrenalina) é produzido através das glândulas suprarrenais (situadas acima dos rins) e tem como função preparar o corpo humano para momentos de atividade física e situações de perigo iminente.

A adrenalina é denominada “o hormônio da luta e da fuga”.

Sua ação no corpo é extremamente rápida e sensível. Um pico de adrenalina tornará a pessoa mentalmente mais tensa, aumentará o fluxo de oxigênio e sangue para o cérebro, pulmões e fibras vermelhas dos grandes músculos.

A pupila dos olhos se dilata e o fluxo cardíaco aumenta. Normalmente, a pessoa sob a ação deste hormônio suará mais e estará mais apta para enfrentar situações exigirão vigor físico e agressividade.

A adrenalina em excesso está relacionada a mau humor, estresse generalizado, ansiedade e até a doenças cardíacas. Nas atividades físicas, a adrenalina é liberada para preparar o corpo para os grandes esforços que os exercícios necessitam.

Ela acelera a queima de gordura e libera grande energia para os músculos que serão acionados. Ou seja, é essencial para o bom desenvolvimento e performance do indivíduo que está na academia dando o máximo de si.

Normalmente, durante o exercício físico, a adrenalina é liberada em picos curtos para dar ao corpo a reserva necessária para aguentar as exigências que lhe serão cobradas, seja levantando pesos ou correndo.

Endorfina: prazer natural ao corpo

A endorfina é um hormônio produzido na glândula hipófise e gera sensação de recompensa e bem-estar no organismo. É produzido em grande quantidade nas atividades prazerosas que uma pessoa tem e está associada a um relaxamento, alívio e contentamento generalizados.

Ao ser liberada no corpo, a endorfina aumenta a disposição física e mental do indivíduo e melhora a resistência imunológica. Dores são reduzidas e tarefas árduas conseguem ser realizadas por mais tempo.

Durante a atividade física, a endorfina é essencial para causar a sensação de prazer comum aos atletas de longa data. Ela melhora a motivação e a performance durante o treino em si, pois o indivíduo sente imediatamente os benefícios do exercício extenuante que está realizando.

Causando uma explosão de euforia e força de vontade, a endorfina é essencial para a maximização dos efeitos benéficos da atividade física. Justamente por isto, muitas pessoas relatam ser “viciadas” na rotina de academia por causa desta sensação de prazer e bem-estar constantes.

Porém, como é um hormônio produzido naturalmente, não há malefício do excesso de endorfina, exceto se a pessoa exercitar-se muito pesadamente, o que pode levar a lesões indesejadas.

Ação conjunta poderosa

Durante o exercício físico, estes poderosos hormônios agem em conjunto, permitindo que o indivíduo encontre a força e agressividade necessários com a adrenalina e a disposição mental requerida com a endorfina.

Por isso, este equilíbrio hormonal de tensão versus alívio ajuda o corpo e o leva aos extremos de sua condição física sem problemas, para também recompensá-lo no final.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a adrenalina e endorfina continue acompanhando os nossos posts para ficar por dentro de tudo sobre o mundo fitness!

Comentários