açúcar

Açúcar: 3 maneiras de substituí-lo na sua alimentação

O açúcar além de fazer mal a saúde, auxilia no ganho de gordura, e por isso deve ser evitado ao máximo. Confira algumas sugestões para substituí-lo.

Todo mundo sabe que o exagero do açúcar não só promove ganho de peso, como também faz um mal gigantesco para a saúde.

Para quem está tentando perder gordura e deixar o shape trincado, reduzir a quantidade de açúcar é uma das primeiras coisas que você deve fazer. Só que evitar o consumo de doces e tirar o açúcar da sua dieta não é uma tarefa nada fácil.

Mesmo sabendo que ele está fortemente associado com a incidência e prevalência de diversas doenças e que é rico em calorias e baixo em nutrientes, o consumo excessivo de açúcar é ainda é muito frequente.

Isso porque é um alimento chave para deixar o gosto de alguns alimentos industrializados mais atrativos, além de ser considerado uma substância viciante, pois age diretamente no centro do prazer do sistema nervoso.

Mas como o açúcar está presente em diversos alimentos industrializados, que muitas vezes nem percebemos, tirá-lo totalmente da alimentação não é tarefa simples. O ideal é reduzir aos poucos e consumir o mínimo possível.

Hoje, existem diversas substâncias que tem o poder de adoçar como o açúcar – naturais e industrializadas – mas sem tantas calorias e, eventualmente, com vários nutrientes. Estes adoçantes são amplamente utilizados por quem quer emagrecer, diabéticos ou por pessoas que procuram uma vida mais saudável.

O grande problema é que boa parte deles – especialmente os industrializados – são artificiais, como o aspartame e a sacarina, que podem ser até piores que o açúcar. Aí complica mais ainda né?

Calma: tem solução. Apesar de alternativas ruins, existem várias que são muito boas. E nós listamos algumas delas aqui. Se liga:

Açúcar: 3 maneiras de substituí-lo na sua alimentação

1- Stevia (ou Estévia) 

Stevia é uma planta, e de suas folhas são extraídos e purificados os glicosídeos de esteviol.

Estes compostos fornecem uma doçura natural e são 200 a 300 vezes mais doces que a sacarose.

Ao contrário do açúcar refinado, os extratos de stevia demonstraram ter efeitos positivos para a saúde, como manter os níveis saudáveis de açúcar no sangue e a pressão arterial estável

Você pode até cultivar estévia em casa e usar suas folhas como adoçante, mas também é possível encontrá-lo de maneira processada em líquido ou pó nos supermercados.

Entretanto, o consumo ainda deve ser moderado, sendo a ingestão diária aceitável de 4 mg/kg de peso corporal, pois em grandes quantidades o esteviol pode obter um sabor amargo.

2- Xilitol

É um composto natural que apresenta índice glicêmico muito baixo, ou seja, efeitos insignificantes sobre os níveis de açúcar no sangue.

Seu valor calórico é bem baixo (2,4kcal/g) e seu gosto é bem similar ao açúcar, tanto quanto seu poder de adoçar os alimentos.

O consumo de xilitol ainda é seguro para pessoas com diabetes, e apresenta um grande potencial de aplicação na área médica, como no combate e tratamento de diabetes, desordem no metabolismo de lipídeos e lesões renais. 

Além disso, ele previne infecções pulmonares, otite e osteoporose.

Seu consumo ainda pode ser bom para os dentes. Alguns estudos mostram que ele reduz a cárie dentária

Por todas essas razões, a incorporação do xilitol em dietas alimentares representa benefícios tanto para os que necessitam de uma dieta controlada quanto para aqueles que, embora não tenha distúrbios metabólicos, preocupam-se com a saúde e com o bem-estar físico.

3- Mel

Há muita confusão com relação ao mel.

Ele é uma opção mais saudável do que o açúcar de mesa, pois apresenta um índice glicêmico inferior ao açúcar, o corpo humano parece processá-lo melhor, além do mel ser associado a menores níveis de grelina, hormônio da fome, em comparação a sacarose (açúcar).

Porém, não é livre de riscos.

O mel é principalmente feito de açúcares simples, mas também contém carboidratos complexos que o corpo queima mais devagar, e estes açúcares diferem dependendo das flores utilizadas pelas abelhas na sua produção.

O que pode levar a diferentes valores de índice glicêmico.

Na dúvida, prefira investir no mel não processado e não filtrado, pois os açúcares do produto processado se transformam em açúcares simples, aumentando mais facilmente os níveis do mesmo no sangue.

Use-o com moderação e escolha os tipos mais escuros que contêm mais antioxidantes. Já para os Diabéticos o indicado é ter cuidado ao utilizá-lo. 

Desse jeito ficou até mais fácil substituir o açúcar da sua dieta.

Mas mesmo com todas essas opções saudáveis e naturais é bom não exagerar no doce!

Comentários