professor range repetições

7 coisas que indicam que seu personal não é tão bom quanto você imagina

O suporte de um professor é ESSENCIAL e você não deve treinar sozinho. Mas tão importante quanto ter um professor do lado é ter um professor bom!

A gente já comentou aqui no Feito de Iridium sobre os marombas que acham que sabem tudo de educação física, musculação, bioquímica, nutrição e afins. Mas também tem um outro personagem bastante comum – e problemático – em muitas academias por aí: o mau professor.

Com a popularização do esporte, começaram a surgir milhares de academias por todos os cantos do país e principalmente das grandes cidades.

Isso fez com que o mercado tivesse uma demanda muito grande por profissionais da área, talvez até maior do que o número de bons profissionais. Resultado? Professores formados em cursos questionáveis, ou simplesmente sem nenhum formação, desinteressados ou desinformados.

É claro que existem muitos bons profissionais por aí, e que ter o suporte de um professor é fundamental. O ponto é que é preciso ficar esperto, porque também tem muito picareta nas academias posando de professor.

Aqui, vamos mostrar alguns absurdos que esses “professores” costumam proliferar por aí. Confira se você já ouviu algum deles, e quem sabe você não identifica um mau professor?

7 coisas que indicam que seu personal não é tão bom quanto você imagina

1- “As máquinas não servem pra nada”

professor - maquina

A gente já falou sobre a polêmica “pesos livres ou aparelhos” aqui no Feito de Iridium. Não existe um consenso sobre o assunto, mas, mesmo que você prefira os pesos livres, não despreze as máquinas!

Tudo bem se o seu professor montar um treino para você sem a utilização de aparelhos. É possível ter um bom treino só com um tipo. O problema é ele pintar um cenário como se só um deles fosse bom.

Além disso, é importante variar os exercícios, para oferecer diferentes estímulos para seus músculos. Além disso, muitas vezes os exercícios que trabalham músculos isolados (em geral nas máquinas) são uma boa opção.

Se você quer ter um corpo simétrico, definido e perfeito, não existe equipamento ou tipo de treino que você obrigatoriamente tem que evitar.

2- “Vou te passar a melhor dieta que existe”

professor - dieta

Um bom sinal de que o seu professor tem qualificações questionáveis é se ele falar que vai te passar “a melhor dieta que existe”. Primeiro, porque quem entende do assunto e deve cuidar da dieta é o nutricionista, não o educador físico.

Depois, porque simplesmente não existe “a melhor dieta”! Quem fala esse tipo de coisa demonstra total desconhecimento do assunto.

As necessidades nutricionais variam muito de pessoa para pessoa, e é por isso que o suporte de um nutricionista é importante: ele vai analisar suas necessidades e montar uma dieta exclusiva para você.

É claro que você pode seguir uma dieta padrão, mas as quantidades são diferentes para cada um, sempre. Não por acaso, quando passamos dietas aqui no Feito de Iridium, nossa equipe de nutricionistas faz dietas qualitativas, que indicam alimentos, mas não quantidades.

3- “Tem que doer mesmo”

professor - dor

Essa é polêmica – e a gente também já abordou o assunto aqui no Feito de Iridium.

Em alguns casos, a dor é um sinal positivo. Mas daí a dizer que “tem que doer” existem um abismo. Não tem que doer. E mesmo se às vezes a dor é um bom sinal, a falta dela não indica que o treino foi ruim.

A dor é um aviso do seu corpo de que algo está errado. Em escala moderada, tudo bem. Um leve desconforto, ok. Mas dor de verdade, daquelas que incomodam e te impedem, por exemplo, de ir trabalhar, não é nada bom.

A dor pode indicar uma lesão, e se você achar que ela é normal e não fizer nada, pode agravar o problema até o ponto que você não pode mais treinar. Você não quer isso, quer?

4- “Quem quer queimar gordura não deve levantar peso”

professor - peso

É típico do mau professor: dizer que quem quer queimar gordura deve evitar levantar peso e fazer apenas cardio – principalmente se o atleta em questão for uma mulher.

Mas isso é muito errado. Claro que o cardio é fundamental para queimar gordura, mas um treino com pesos que promova a hipertrofia, junto com o cardio, vai queimar ainda mais!

5- “Vai aquecendo/alongando e eu já volto”

professor - alongamento

Quando os jogadores reservas de um time de futebol vão fazer aquecimento, quem está lá do lado deles? Sim, ele, o preparador físico! Na academia é (ou deveria ser) a mesma coisa!

Primeiro: o personal trainer é pago para acompanhar os atletas durante toda a atividade – seja o treino, o aquecimento, o alongamento ou o cardio.

Segundo: no caso do alongamento, é um especialista no assunto que precisa dizer qual movimento fazer, por quanto tempo, em quais músculos focar, porque é importante e quais os benefícios da atividade.

Já para o aquecimento, apenas atletas experientes conseguem se virar sozinhos. Em geral, o aquecimento é uma série mais leve do(s) exercício(s) que virá(ão) a seguir.

Se o atleta é iniciante e não sabe fazer o movimento corretamente, como ele pode aquecer sozinho?

6- “Você precisa treinar mais”

professor - treinar mais

Essa não é completamente errada, porque também tem muito maromba que vai na academia uma vez por semana e acha que vai ficar gigante. Mas tem coach que abusa.

É difícil estabelecer um número mínimo de sessões por semana, porque isso depende da experiência, das necessidades e dos objetivos de cada um, mas, se você treina bastante e seu “professor” vive falando que você precisa treinar mais, tem alguma coisa errada nessa história.

Se você faz 5 ou 6 sessões na semana e não está chegando onde gostaria, ou a culpa é da dieta (o que é difícil, se feita por um nutricionista) ou o seu treino é ruim.

E, neste caso, não adianta treinar mais. Você precisa treinar melhor.

7- “O agachamento não precisa chegar até a paralela”

professor - agachamento

Se você faz alguns centímetros do movimento do agachamento e seu professor acha que tudo bem, fique sabendo: não está tudo bem!

O agachamento deve ser feito até a paralela (quando as coxas ficam paralelas ao chão), ou até mais. Fazer o movimento pela metade diminui absurdamente a eficiência do exercício, e você vai gastar energia à toa.

Isso pode acontecer por alguns motivos. O mais óbvio, é que seu professor determinou uma carga além da sua capacidade, que impede que você faça o exercício direito. Mas pode ser mais – como pura preguiça de explicar o movimento, por exemplo.

Isso não vale só para o agachamento. Se seu professor acha que tudo bem executar um exercício pela metade, ele é qualquer coisa menos professor.

E aí, você já passou por alguma dessas na sua vida de marombeiro?

Importante ressaltar: o acompanhamento e suporte de um professor especialista em educação física é ESSENCIAL e você não deve treinar sozinho. Mas tão importante quanto ter um professor do lado é ter um professor bom!

MInotauro - Pré treino

Comentários

 

Comments are closed.